Reuters/KACPER PEMPEL
Foto
Reuters/KACPER PEMPEL

Megafone

O Google sabe tudo sobre mim

Considerava-me uma pessoa minimamente reservada, até que descobri precisamente o contrário: o Google sabia tudo sobre mim. Para chegar a esta conclusão bastou aceder ao Google Takeout.

Durante esta semana, um estudo levado a cabo pela agência de notícias Associated Press veio confirmar que o Google armazena e trata dados relativos à nossa localização, mesmo que não o autorizemos.

Considerava-me uma pessoa minimamente reservada, até que descobri precisamente o contrário: o Google sabia tudo sobre mim. Para chegar a esta conclusão bastou aceder ao Google Takeout, onde alegadamente poderia descarregar toda a informação que me diz respeito e que se encontra armazenada nos diversos servidores espalhados pelo mundo.

Aí chegado, sou confrontado com uma mensagem deveras interessante que me informa que o download poderia demorar horas ou dias. Senti-me desmotivado com o aviso e cheguei a interpretá-lo como uma recomendação: “Tens mais que fazer, não te chateies”. Se humanizássemos o Google, encarnaria naquele amigo chato que não vai na onda sem te fazer pensar duas vezes.

Não seguindo aquele modesto aviso, prossegui com o download e, algumas horas depois, voilá: Toda a minha vida virtualmente conhecida, até aquele dia, documentada. Desde fotografias, dados de geolocalização, contactos, emails enviados e outros apagados há um bom par de anos, pesquisas no motor de busca (inclusive uma curiosa que remonta a 2007 — “Como ganhar aos meus amigos nos tazos do Bolicao"). Fiquei atónito, o meu pé começou a tremer ligeiramente e nessa noite a paranóia invadiu-me enquanto tentava desesperadamente adormecer.

Na manhã do dia seguinte senti que precisava de consultar um psicólogo que me ajudasse a combater os meus medos e ansiedades e, já agora, que me prescrevesse medicação para dormir. Decidi pesquisar por um na minha zona no Google e logo me deparo com um anúncio de chá tranquilizante. Achei maravilhoso! Como não me tinha lembrado antes? Decidi comprar imediata e comodamente sem sair de casa através da minha conta PayPal. Chegou no dia seguinte e era óptimo!

Enquanto bebia a primeira xícara decidi pesquisar no Google como proceder ao exercício do direito ao esquecimento de todos os meus dados pessoais daquela plataforma. Rapidamente o consegui fazer e senti-me finalmente um homem novo, livre!

Hoje estou aqui sentado, no meu último dia de trabalho antes das férias, regozijado pela minha conquista, pelo que vou pesquisar um hotel no Algarve para passar uns dias, talvez três. A minha mulher quer fazer um desvio a Espanha, por isso vou ver como lá chegar mais rapidamente no Google Maps. Mas antes tenho de enviar um email ao meu patrão, ligar à minha mulher e escrever no meu Facebook sobre liberdade. Antes disso vou ouvir, calmamente, uma música que o YouTube me recomendou.

Mas… espera lá!