Portugal desce para sétimo no ranking da FIFA, liderado pela França

Alemanha caiu para a décima quinta posição do ranking, com actualização do Mundial e novas regras

Foto
Portugal foi eliminado nos quartos de final pelo Uruguai ao perder por 2-1 EPA/MIGUEL A. LOPES

A selecção portuguesa de futebol desceu para o sétimo lugar no ranking da FIFA, divulgado esta quinta-feira, que passou a ser liderado pela França, um mês e um dia depois de ter conquistado o título no Mundial2018.

Portugal, que foi eliminado nos oitavos de final, ao perder por 2-1 com o Uruguai, caiu três posições na hierarquia da FIFA, que passou a adoptar uma nova metodologia no cálculo dos pontos atribuídos e na qual se destaca a queda da anterior líder, a Alemanha, eliminada na fase de grupos do Mundial2018, para o 15.º posto.

Em comunicado, a FIFA recorda que, agora, são somados ou deduzidos pontos ao total que cada selecção já detém conforme ganha ou perca um jogo, quando até aqui havia uma média atribuída num determinado período de tempo. Em Junho, quando as mudanças foram anunciadas, explicou que no caso dos jogos particulares entre selecções seria dada menor relevância nas contas, enquanto os encontros em fases finais de grandes torneios terão maior peso.

A fórmula, conforme escreveu então o PÚBLICO, parte da “expectativa lógica de que as equipas mais acima no ranking são melhores do que aquelas mais abaixo”. “As equipas ganham ou perdem pontos conforme o seu desempenho. O número de pontos ganhos ou perdidos varia em função da força relativa dos adversários.

“As equipas ganham ou perdem pontos conforme o seu desempenho. O número de pontos ganhos ou perdidos varia em função da força relativa dos adversários. Assim, uma equipa fraca que bate uma equipa forte soma mais pontos do que uma equipa forte que vence uma equipa fraca. É um conceito justo e lógico”, defendeu a FIFA.

Altos e baixos

Além da França, que subiu do sétimo lugar para o topo da classificação, o desempenho no Mundial2018 beneficiou também fortemente a Croácia, derrotada na final por 4-2, a qual deu um 'salto' de 16 posições, da 20.ª para a actual quarta.

PÚBLICO -
Aumentar

A Bélgica, terceira classificada no Mundial2018, cuja fase final se disputou na Rússia, ascendeu do terceiro ao segundo posto, por troca directa com o Brasil, eliminado pela selecção belga nos quartos-de-final do torneio.

O Uruguai, que, depois de ter eliminado Portugal, foi afastado pela França nos 'quartos', capitalizou o bom desempenho no campeonato do mundo, subindo de 14.º para quinto, seguido da Inglaterra, quarta posicionada na Rússia, a qual 'pulou' do 12.º para a sexta posição.

A Dinamarca, que ocupava o 12.º lugar no ranking anterior, foi uma das quatro entradas no 'top 10', em conjunto com Croácia, Uruguai e Inglaterra, passando a ocupar o nono posto, em igualdade com a Espanha, ambas atrás da Suíça, a qual desceu de sexta para oitava.

O país anfitrião do evento, Rússia, protagonizou a maior subida em número de lugares, galgando 21 posições e chegou ao 49º.

No pólo oposto, além da Alemanha, anterior campeã do mundo, deixaram também a companhia dos 10 primeiros posicionados a Argentina (que caiu de quinta para 11.ª), a Polónia (de oitava para 18.ª) e o Chile (de nono para 12.º).

O Irão, treinado por Carlos Queiroz, ascendeu cinco lugares, para o actual 32.º, depois de ter terminado em terceiro lugar no grupo de Portugal do Mundial2018, tendo mantido expectativas de apuramento até à última jornada, na qual empatou 1-1 com a equipa das 'quinas'. O Burkina Faso, treinado pelo português Paulo Duarte, manteve-se na 52.ª posição.

Cabo Verde continua como o segundo melhor dos países de expressão portuguesa, depois do Brasil, tendo subido um lugar, para 64.º. Segue-se Moçambique (114º), Guiné-Bissau (121º), Angola (137º), São Tomé e Príncipe (186) e Timor-Leste (190º). O próximo ranking será publicado a 20 de Setembro.