Ípsilon

Entrevista

Tiago Rodrigues: "Há o perigo do sentimental mas há o perigo talvez maior do cinismo"

O teatro não é uma arte solitária nem na escrita. Tiago Rodrigues, 41 anos, director artístico do Teatro Nacional D. Maria II, entende a sua missão como fundamentalmente política. Actor, encenador, dramaturgo, sabia pouco acerca do que queria ser quando fosse crescido, apenas que havia de fazer qualquer coisa com as palavras. Escreve como um leitor e a pensar em como um actor vai dar corpo ao seu texto. Preza o mistério, fala da tentação da ironia, não quer acabar cínico.