Pelo menos 22 crianças sudanesas morrem em naufrágio no Nilo

As crianças estavam a caminho da escola quando se deu o naufrágio da embarcação.

Os habitantes das localidades da região utilizam com regularidade embarcações para atravessar o Nilo
Foto
Os habitantes das localidades da região utilizam com regularidade embarcações para atravessar o Nilo Reuters/SIEGFRIED MODOLA

Pelo menos 22 crianças sudanesas que se dirigiam para a escola morreram nesta quarta-feira quando naufragou a embarcação em que seguiam, no rio Nilo, informaram as autoridades locais. A tragédia ocorreu a cerca de 750 quilómetros da capital sudanesa, Cartum.

Mais de 40 crianças de região de Kneissa encontravam-se na embarcação no momento do naufrágio, que causou ainda a morte de uma mulher adulta, a 23.ª vítima confirmada, segundo a agência noticiosa sudanesa Suna.

Os corpos das vítimas não foram ainda encontrados, adianta a agência Suna, sem precisar o estado das restantes crianças a bordo. "Esta manhã, 22 estudantes e uma mulher morreram quando a embarcação em que seguiam naufragou no Nilo", referiu a agência.

Os habitantes das localidades da região utilizam com regularidade embarcações para atravessar o Nilo de uma margem para a outra.

"O acidente foi provocado pela paragem do motor da embarcação a meio caminho devido à forte corrente", adiantou a Suna. Falando por telefone, uma testemunha revelou à Agência France Presse que o barco atravessava o Nilo de norte para sul, ou seja, “contra a corrente".

O nível das águas do afluente Nilo-azul é elevado, como é habitual nesta altura do ano devido à época das chuvas na Etiópia.

O Nilo-azul, que tem a sua fonte nas montanhas da Etiópia, junta-se ao afluente Nilo-branco em Cartum para formar o Nilo, que atravessa o Sudão e o Egipto antes de desaguar no Mediterrâneo.