Governo tem em curso levantamento de prejuízos agrícolas em Monchique

O levantamento dos prejuízos está em curso há três dias, assume Ministério da Agricultura.

Capoulas Santos disse que levantamento dos prejuízos está a ser feito desde sexta-feira
Foto
Capoulas Santos disse que levantamento dos prejuízos está a ser feito desde sexta-feira Miguel Manso

O Ministério da Agricultura informou esta segunda-feira que está, desde sexta-feira, a fazer o levantamento dos prejuízos agrícolas e pecuários nas explorações afectadas pelos incêndios de Monchique, distrito de Faro.

"O Ministério da Agricultura, através da Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Algarve (DRAP Algarve), tem em curso, desde sexta-feira, o processo do levantamento dos prejuízos agrícolas e pecuários nas explorações afectadas pelo incêndio de Monchique", disse, em comunicado, o ministério tutelado por Capoulas Santos.

De acordo com o ministério, em cada junta de freguesia estão presentes técnicos para apoiar os agricultores no preenchimento das declarações de prejuízo e para prestar outras informações.

"O processo de levantamento de prejuízos é essencial para a definição das medidas de apoio a desencadear por parte do Ministério da Agricultura, pelo que as declarações que nesta fase são apresentadas não constituem qualquer candidatura aos apoios que venham a ser disponibilizados. O processo agora em curso não dispensa a apresentação posterior de uma candidatura formal", esclareceu.

O Governo indicou ainda que já está a trabalhar no processo de candidaturas a medidas de apoio, com o objectivo de iniciar o mesmo "o mais rapidamente possível".

Na sexta-feira, o Ministério da Agricultura anunciou que tem em funcionamento na Herdade do Patacão um centro de entrega de ração de emergência, palha e feno para distribuição aos animais das explorações afectadas pelo incêndio de Monchique.

O incêndio rural, combatido por mais de mil operacionais e dado como dominado na sexta-feira de manhã, deflagrou no dia 3 à tarde, em Monchique e atingiu também o concelho vizinho de Silves, depois de ter afectado, com menor impacto, os municípios de Portimão (no mesmo distrito) e de Odemira (distrito de Beja).