Dois sismos de fraca intensidade no Minho e em Ponta Delgada

Abalo de fraca intensidade teve epicentro próximo de Vila Verde. Fenómeno, que se repete desde o início da semana, é considerado "normal". Em Ponta Delgada também foi sentido um abalo de 3.0 na escala de Richter

Foto
EMSC

Um sismo com magnitude de 3.0 na escala de Richter, e epicentro a cerca de 13 quilómetros a oeste de Várzea, na ilha de São Miguel, foi hoje de manhã sentido em Ponta Delgada, maior cidade açoriana, informaram as autoridades.

De acordo com uma nota do Serviço Regional de Protecção Civil e Bombeiros dos Açores (SRPCBA), o sismo foi registado às 9h12 locais, menos uma hora do que em Lisboa.

"De acordo com a informação disponível até ao momento, o sismo foi sentido com intensidade máxima II/III na escala de Mercalli Modificada em Mosteiros, concelho de Ponta Delgada, ilha de São Miguel", acrescenta a nota.

No Minho, um sismo de 2.9 graus Richter de magnitude foi registado este sábado. O abalo teve epicentro próximo de Vila Verde, entre Braga, Ponte de Lima e Viana do Castelo, e não há registo de danos dada a fraca intensidade.

Desde o início da semana que vários tremores foram sentidos pela população daquela área. Ao PÚBLICO, na terça-feira, Fernando Carrilho, chefe da divisão de geofísica do IPMA, dizia que a situação é "normal".

“São sismos de muito pequena dimensão. Mas como são em terra, próximos das populações, as pessoas apercebem-se deles. À partida, não têm nada de excepcional. Não vimos, para já, nada de anómalo nesta situação. Fazem parte do historial de 10 a 20 sismos sentidos por ano no Continente”, afirmou, num universo de 1500 a 2000 por ano registados.

Apesar de habitualmente haver maior registo de actividade sísmica no Sul do país, todo o território português é susceptível de registar abalos de pequena dimensão. "Há uma estrutura de falhas [geológicas] activas por todo o território do Continente. É a actividade de várias falhas que dá origem a estes pequenos sismos”, explicou Carrilho.