FBI investiga roubo de avião que se despenhou perto de Seattle

Funcionário de companhia área que roubou o aparelho será a única vítima do incidente. Avião foi perseguido por dois F-15 da Força Aérea norte-americana.

Coluna de fumo visível após a queda da aeronave
Foto
Coluna de fumo visível após a queda da aeronave

Um avião da Horizon Air foi roubado esta sexta-feira (já sábado em Portugal) por um funcionário da companhia aérea, que fez o aparelho descolar sem autorização do aeroporto internacional de Seattle-Tacoma, no Noroeste dos Estados Unidos. Já há uma investigação em curso para saber o que motivou o funcionário a roubar o avião e conhecer os pormenores do incidente. 

A aeronave, um Bombardier Q400, despenhou-se poucos minutos depois numa ilha desabitada do estreito de Puget, perto de Seattle, quando era perseguido por dois F-15 da Força Aérea norte-americana. A perseguição foi filmada por inúmeros residentes da zona.

De acordo com a imprensa norte-americana, a única vítima do incidente será o homem que pilotava o aparelho, que não transportava passageiros naquele momento. Este seria um homem de 29 anos, mecânico da Horizon Air (uma subsidiária da Alaska Airlines) e residente na área metropolitana de Seattle. Foi identificado como Richard Russell, funcionário na empresa há três anos e meio com autorização para estacionar os aviões. 

Segundo as comunicações com a torre de controlo, cujas gravações foram partilhadas nas redes sociais por um jornalista canadiano, o homem que pilotava a aeronave apresentava-se emocionalmente instável, dizendo ter uns “parafusos a menos”.

“Tenho muitas pessoas que se preocupam comigo. Vão ficar desiludidas quando souberem que fiz isto. Gostava de pedir desculpa a cada uma delas. Sou apenas um tipo que está em baixo, com alguns parafusos a menos, acho eu. Nunca percebi isso até agora”.

As autoridades não estão a tratar o incidente como um acto de terrorismo. De acordo com o xerife do condado de Pierce, o homem agiu sozinho e por motivações suicidas: “As tentativas de acrobacias no ar ou a falta de capacidade de voo causaram o acidente”, escreveu xerife no Twitter.

Também o FBI está envolvido na investigação: “Vamos investigar a fundo, o que quer dizer que vamos levar algum tempo a analisar a área e a mergulhar nos antecedentes do indivíduo que é tido como responsável, revendo cada aspecto deste incidente com todos os parceiros públicos e privados apropriados", lê-se num comunicado citado pela Reuters.