Cortes e picadas de peixe-aranha. Postos de saúde na praia atenderam 2000 pessoas

Dados de Julho das praias algarvia foram divulgados nesta sexta-feira. Cerca de 68% das pessoas atendidas nestes postos, que funcionam ao abrigo de uma colaboração entre a ARS e a Cruz Vermelha Portuguesa, "não são residentes na Região do Algarve".

Foto
Nelson Garrido

Os 31 postos de saúde de praia do Algarve atenderam, durante o mês de Julho, 2067 pessoas, das quais 33 foram encaminhadas para outras unidades de saúde, anunciou a Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve.

"Destes atendimentos, 1159 foram para tratamentos e suturas, 244 foram devido a picadas de peixe-aranha e insectos, 394 para medições de pressão arterial, 111 para administrar injecções e 126 para realizar testes de glicemia, tendo sido registados durante este período 33 encaminhamentos para outras unidades de saúde", contabilizou a ARS algarvia num comunicado.

A mesma fonte frisou que cerca de 68% das pessoas atendidas nesses postos, que funcionam ao abrigo de uma colaboração entre a ARS e a Cruz Vermelha Portuguesa, "não são residentes na Região do Algarve" e, destes, "52% são residentes noutras regiões do país e 16% são estrangeiros".

Quanto aos restantes 32%, residiam no distrito de Faro, acrescentou a ARS, que disponibiliza este serviço desde 1 de Julho até 16 de Setembro.

Estes números são ligeiramente inferiores aos registados no ano anterior, quando foram realizados, em Julho, 2413 atendimentos nos 32 postos de saúde de praia que no verão funcionavam ao longo da costa algarvia, segundo os dados disponibilizados pela ARS do Algarve no ano passado.

A ARS recordou que os postos de saúde de praia funcionam entre as 10h e as 19h e prestam "cuidados de saúde de enfermagem", respondem a "situações clínicas que possam ser tratadas no local", funcionam "como ponto de esclarecimento e de triagem" e, "em caso de necessidade, encaminha o utente para uma unidade de saúde mais adequada".

"Os recursos afectos aos Posto de Saúde de Praia são potenciados através da comunicação por via telefónica entre os enfermeiros dos Posto de Saúde de Praia e o Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) do INEM, permitindo uma integração adequada com o dispositivo de emergência pré-hospitalar", precisou a ARS.

No sotavento algarvio (este), os postos de praia funcionam em Vila Real de Santo António (Monte Gordo e Manta Rota), em Castro Marim (Altura, Praia Verde e Cabeço), em Tavira (Barril, Ilha de Tavira e Praia de Cabanas), em Olhão (Ilha da Armona e Ilha da Fuseta), em Faro (Ilha de Faro, Ilha da Culatra e Ilha do Farol) e em Loulé (Praia do Ancão, Vilamoura e Quarteira), segundo o mapa divulgado pela ARS.

No barlavento (oeste), o serviço está disponível em Albufeira (Galé, praia das Belharucas, praia dos Tomates e Rocha Baixinha nascente), em Lagoa (Praia Grande/Ferragudo), em Silves (Armação de Pêra), em Portimão (Alvor, Vau e Praia da Rocha), em Lagos (praia da Luz e Porto de Mós), em Vila do Bispo (Mareta e Salema) e em Aljezur (Odeceixe e praia de Monte Clérigo).