Fotografia

Nove Meses de Inverno e Três de Inferno: dez anos nas entranhas transmontanas

João Pedro Marnoto
Fotogaleria
João Pedro Marnoto

Têm o mundo rural entranhado, mas abraçam muito mais do que um país longe do mar. As imagens de João Pedro Marnoto — resultado de dez anos de vivência e viagem por Trás-os-Montes — representam “uma certa ruralidade” em extinção que, diz o fotógrafo, já só habita na outra ponta da Europa, na Roménia. Mas, mais do que o retrato de uma região, são um registo “abstracto” reconhecível em diversas geografias. São a mostra de um mundo em mudança — e em conflito. Urbano versus rural. Progresso versus tradição. Não é essa uma narrativa universal?

Marnoto, produto urbano originário do Porto, tornou-se há uns anos cidadão transmontano. E desse privilégio de ser da casa fez nascer Nove Meses de Inverno e Três de Inferno, livro e documentário, trabalho de uma década e número incontável de frames e horas de filmagem. Agora, anda pelas aldeias portuguesas, projector e tela às costas, a mostrar o seu filme de 94 minutos. Uma continuação da viagem que quer também ter paragens em cidades do litoral e além fronteiras. 

Lê o artigo completo.

João Pedro Marnoto
João Pedro Marnoto
João Pedro Marnoto
João Pedro Marnoto
João Pedro Marnoto
João Pedro Marnoto
João Pedro Marnoto
João Pedro Marnoto
João Pedro Marnoto
João Pedro Marnoto
João Pedro Marnoto
Fotógrafo tem mostrado o documentário em várias aldeias, num tour que quer percorrer todo o país
Fotógrafo tem mostrado o documentário em várias aldeias, num tour que quer percorrer todo o país João Pedro Marnoto
Tour para mostrar documentário
Tour para mostrar documentário João Pedro Marnoto
Tour para mostrar documentário
Tour para mostrar documentário João Pedro Marnoto
João Pedro Marnoto
João Pedro Marnoto
João Pedro Marnoto
João Pedro Marnoto
João Pedro Marnoto
João Pedro Marnoto
João Pedro Marnoto
João Pedro Marnoto
João Pedro Marnoto
João Pedro Marnoto
João Pedro Marnoto
Sugerir correcção