Crónica de jogo

Erro defensivo impede Sp. Braga de sair da Ucrânia com a vitória

Os "guerreiros do Minho" marcaram primeiro, mas depois deixaram-se empatar.

Wilson Eduardo esteve muito interventivo no aataque do Braga.
Foto
Wilson Eduardo esteve muito interventivo no ataque do Braga. LUSA/STANYSLAV VEDMID

Ainda não foi desta que o Sp. Braga venceu uma equipa ucraniana, mas oportunidades não faltaram. Os bracarenses não foram além de um empate (1-1) com o Zorya no encontro da primeira mão da terceira pré-eliminatória da Liga Europa. Ricardo Horta inaugurou o marcador na segunda parte (69’, e nesta altura teria sido possível dizer que a pedra dura furou após tanto tempo a ser batida, mas os ucranianos responderam três minutos depois, com Karavaev a repor a igualdade. Os bracarenses dominaram a maioria do encontro, mas o Zorya soube manter a organização e resistir às investidas adversárias. A equipa minhota volta a casa a saber que tem a eliminatória em aberto.

O Sp. Braga começou melhor, com um par de oportunidades logo no primeiro minuto. A equipa portuguesa esteve quase sempre em cima do encontro contra um adversário que já fez três jogos para a I Liga ucraniana nesta época. Wilson Eduardo, Ricardo Horta e Fransérgio eram os elementos em maior destaque no ataque, em constantes trocas de posição, e estiveram sempre com os olhos postos na baliza de Luiz Felipe. A estratégia só não teve melhor resultado, porque não aparecia o essencial: o golo. Horta esteve muito perto. O extremo dominou bem a bola e virou-se para a baliza, mas o guarda-redes adversário apareceu rapidamente à frente para defender o remate.

A melhor oportunidade, nesse período, até pertenceu ao Zorya, que conduziu o seu ataque pelos flancos, como Abel Ferreira tinha avisado na antevisão. Depois da confusão na área do Sp. Braga, Karavaev teve (quase) tudo para fazer o golo, mas rematou por cima. Os anfitriões não marcaram, mas suspiraram depois de terem visto o árbitro deixar passar a entrada dura de Lednev sobre Caludemir que era merecedora de um segundo amarelo (38’).

Depois de regressar do balneário, Ricardo Horta, de fora da área, rematou forte e Felipe defendeu para canto. Pouco depois, o jogador falhou um pontapé de bicicleta depois de ver Wilson Eduardo fazer uma boa assistência dentro da grande área, perto da linha de fundo.

O Sp. Braga começou a segunda parte em cima do adversário, mas continuava a ser perdulário. Horta voltou a evidenciar-se ao minuto 57 com um remate que bateu no poste. O extremo português foi o que esteve mais perto do golo e, finalmente, conseguiria o objectivo 12 minutos depois. Ricardo Esgaio centrou para a área, Wilson Eduardo disputou a bola que acabou nos pés de Horta e depois no fundo das redes.

A festa minhota só durou três minutos, porque Nuno Sequeira aliviou mal de cabeça e Karavaev empatou o jogo. Na linha do que foi procurando fazer ao longo de todo o encontro, o Zorya aproveitou um erro da equipa portuguesa para chegar ao golo. E o cenário podia ter sido ainda mais adverso para os minhotos se Mykhaylichenko tivesse concluído da melhor forma um lance em que serpentou por entre a defensiva portuguesa.

A segunda mão joga-se no dia 16, no Estádio Municipal de Braga, onde a equipa da casa tem tudo para seguir para o play-off. A começar por um empate com golos alcançado fora de portas.