Câmara do Porto quer jardim fronteiro do Palácio de Cristal em obras em Novembro

Intervenção passa pela recuperação de canteiros, pavimentos, fontes, estátuas e também a bilheteira e gradeamentos

Os jardins que os visitantes vêem quando entram pelo portão principal vão ser reabilitados
Foto
Os jardins que os visitantes vêem quando entram pelo portão principal vão ser reabilitados Paulo Pimenta

A empresa municipal do Gestão e Obras Públicas do Porto lançou um concurso público para a reabilitação do Jardim de Emílio David, o espaço fronteiro do Palácio de Cristal e um dos mais icónicos do terreno. O investimento será de 768 mil euros e a autarquia espera que os trabalhos possam começar em Novembro, sendo a duração prevista da empreitada de cerca de seis meses.

O anúncio do concurso foi publicado a 2 de Agosto em Diário da República, pelo que desde essa data que decorre o prazo de 24 dias para a apresentação de propostas. Na página da internet da autarquia, uma informação publicada esta quarta-feira indica que os trabalhos serão de “recuperação paisagística” e tendo em consideração “o traçado original do jardim, desenhado há mais de 150 anos”.

Os trabalhos prevêem a “recuperação do traçado original dos canteiros, bem como a requalificação dos pavimentos e equipamentos existentes, com o restauro de fontes, estátuas, gradeamentos e bilheteiras de entrada”, acrescenta-se na mesma página. A par com essa intervenção serão criadas “novas redes de rega e drenagem de pavimentos”.

A autarquia tem estado a desenvolver um plano de reabilitação dos espaços exteriores do Palácio de Cristal, tendo já investido nestes trabalhos, nos últimos cinco anos, e segundo dados divulgados pela própria, 1,3 milhões de euros. Os projectos faseados de reabilitação assentam num trabalho desenvolvido pela arquitecta paisagista Teresa Portela Marques, da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, que está condensado no livro “Jardins do Palácio de Cristal”, lançado há pouco mais de um ano.

Depois da reabilitação de locais como a Avenida das Tílias – onde, anualmente, decorre a Feira do Livro do Porto – o município avança agora para a reabilitação daquele que é um dos jardins mais reconhecíveis do Palácio de Cristal e o primeiro com que se deparam todos os visitantes do espaço que ali chegam através do portão principal. Na informação colocada na página da internet do município realça-se que o Jardim de Emílio David “preserva, no conjunto, as suas características originais”, o que deverá ser mantido, ao mesmo tempo que se “pretende resgatar alguns elementos que se foram perdendo ou precisam ser regenerados, obedecendo a critérios de autenticidade e respeito absoluto pelo património histórico”.

A câmara tem a expectativa que as obras possam avançar no terreno ainda em Novembro, o que só acontecerá se o concurso público cumprir os prazos e não houver, por exemplo “atrasos causados por litigância entre concorrentes”, realça-se na informação colocada na página municipal.