Bombeiros de Portimão pedem voluntários para levar refeições ao terreno

Corporação pede ainda donativos para os bombeiros, como fruta, água, bebidas energéticas, leite, comida, pomadas para queimaduras, cremes, produtos médicos.

Foto
Bombeiros combatem o incêndio que lavra desde sexta-feira em Monchique na zona de Rasmalho em direcção a Porto de Lagos, Portimão

Os Bombeiros de Portimão pediram, nesta terça-feira, ajuda à população para a distribuição de refeições e mantimentos aos “mais de 1000 homens e mulheres” que se encontram, neste momento, a combater o fogo na serra de Monchique.

Numa publicação divulgada na página de Facebook do jornal regional Barlavento, é feito um apelo à população para a distribuição, por turnos, de cerca de 7200 refeições diárias aos bombeiros – entre refeições principais e de reforço – que estão a ser confeccionadas, desde segunda-feira, nas instalações da Escola Básica Júdice Fialho, em Portimão.

“Aceitam-se voluntários que queiram contribuir para ajudar nesta missão, de forma a que possam ser criadas escalas de serviço, de dia ou de noite, em função das disponibilidades de cada um”, diz o apelo.

Os Bombeiros de Portimão pedem ainda donativos para os operacionais no terreno, como fruta, água, bebidas energéticas, leite, comida, pomadas para queimaduras, cremes, produtos médicos, entre outros, que devem ser entregues no quartel daquela corporação para depois serem encaminhados para o Corpo de Bombeiros de Monchique.

O incêndio em Monchique, que deflagrou na passada sexta-feira, continua fora de controlo devido ao vento forte que está a dificultar o combate às chamas e já alastrou para os concelhos de Portimão e de Silves. O Ministério Público do Departamento de Investigação e Acção Penal de Faro e a Polícia Judiciária estão a investigar a ocorrência, para determinar as suas causas.

De acordo com o site da Protecção Civil, consultado no início da tarde, estavam no local 1157 bombeiros, apoiados por 343 viaturas e 15 meios aéreos. O sistema de emergência da União Europeia de navegação por satélite Copernicus aponta para cerca de 19 mil hectares queimados e, durante a noite de domingo para segunda-feira, registaram-se 24 feridos, um deles em estado grave.