Protecção Civil põe em alerta vermelho mais 11 distritos

Prevêem-se condições de instabilidade atmosférica, com ventos e possível ocorrência de trovoadas secas.

Foto
Há cinco regiões com risco máximo de incêndios Rui Gaudêncio

Faro e Beja já estavam em alerta vermelho. Nesta sexta-feira, a Autoridade Nacional da Protecção Civil (ANPC) decidiu elevar o Estado de Alerta Especial, previsto no Dispositivo de Combate a Incêndios Rurais, também para vermelho em 11 distritos: Évora, Setúbal, Lisboa, Santarém, Portalegre, Castelo Branco, Coimbra, Leiria, Viseu, Guarda e Bragança.

Aveiro, Porto, Braga, Viana do Castelo e Vila Real encontram-se em alerta  laranja, diz em comunicado a ANPC que lembra que, nas próximas 48 horas, mantêm-se as condições de elevada severidade meteorológica para o risco de incêndio. A saber: “teores de humidade relativa inferiores a 20% na generalidade do território nacional”, temperaturas máximas com valores acima dos 35ºC (podendo ser ultrapassados os 40ºC na região Sul e no Vale do Tejo) e a manutenção de valores elevados de temperatura mínima, existindo locais em que se prevê que esta possa ser de 30ºC — caso do Algarve, Vale do Tejo e alguns locais do interior Centro.

Para além disso, “nos dias 3 e 4 de Agosto prevêem-se condições de instabilidade atmosférica”, com ventos e possível ocorrência de trovoadas secas, em particular no interior das regiões Norte e Centro, não sendo de excluir a possibilidade de se estenderem para o distrito de Portalegre.

Resultado: o risco de incêndio é máximo no Algarve, muito elevado no distrito de Beja (máximo no concelho de Odemira), no interior Norte e Centro e na região de Vale do Tejo. Para sábado prevê-se “um agravamento na zona Centro (um maior número de concelhos vai apresentar índices máximos, designadamente nos distritos de Leiria, Coimbra e Castelo Branco)”.

A ANPC relembra as proibições em vigor, como estas: “Realização de queimadas, de fogueiras para recreio ou lazer, ou para confecção de alimentos; utilização de equipamentos de queima e de combustão destinados à iluminação ou à confecção de alimentos; o lançamento de balões com mecha acesa ou qualquer outro tipo de foguetes; fumar ou fazer lume de qualquer tipo nos espaços florestais e vias que os circundem.”