Zimbabwe tenta aliviar tensão após confrontos mortais

Pelo menos três pessoas morreram em Hahare, capital do Zimbabwe. Presidente diz estar em conversações com o líder da oposição, Nelson Chamisa

LUSA/YESHIEL PANCHIA
Fotogaleria
LUSA/YESHIEL PANCHIA

O Presidente Emmerson Mnangagwa, cujo partido venceu as eleições desta semana no Zimbabwe, está em conversações com o líder da oposição, Nelson Chamisa, na tentativa de "aliviar a tensão" que se apoderou do país e justificou novos confrontos violentos na capital, Harare.

Foi o próprio Presidente quem revelou a notícia, pelo Twitter, acrescentando que pedia "uma investigação independente" aos acontecimentos de quarta-feira. "Mais do que nunca é importante agora estarmos unidos e empenhados em resolver as nossas diferenças num clima de paz e de respeito, dentro dos limites da lei", escreveu, dirigindo-se ao país e ao líder da oposição, que continua a contestar os resultados eleitorais, queixando-se de manipulação.

O exército mantém-se nas ruas de Harare, um dia depois dos confrontos, na tentativa de manter a calma. Mas na quarta-feira dispararam sobre manifestantes que se insurgiram contra os resultados. Segundo a Reuters, muitas lojas estão encerradas nesta quinta-feira, há ruas cheias de pedras e pequenos focos de incêndio. 

A vitória da União Africana Nacional do Zimbabwe-Frente Patriótica (ZANU-PF, no poder) nas eleições legislativas, alcançando dois terços dos lugares no Parlamento, ficou marcada por violentos confrontos nas ruas da capital entre apoiantes da oposição e a polícia e o Exército, durante os quais pelo menos três pessoas morreram.

Reuters/MIKE HUTCHINGS
Reuters/PHILIMON BULAWAYO
LUSA/YESHIEL PANCHIA
LUSA/AARON UFUMELI
Reuters/SIPHIWE SIBEKO
Reuters/MIKE HUTCHINGS
Reuters/PHILIMON BULAWAYO
Reuters/MIKE HUTCHINGS
LUSA/AARON UFUMELI
LUSA/YESHIEL PANCHIA
LUSA/AARON UFUMELI
Reuters/SIPHIWE SIBEKO
Reuters/MIKE HUTCHINGS
Reuters/MIKE HUTCHINGS
Reuters/SIPHIWE SIBEKO
Reuters/SIPHIWE SIBEKO
Reuters/SIPHIWE SIBEKO
Sugerir correcção