Rio Ave marca quatro golos mas está fora da Liga Europa

O clube de Vila do Conde dispôs de várias oportunidades para se colocar na frente da eliminatória, mas permitiu que os polacos do Jagiellonia empatassem o jogo.

Taras Romanczuk "bisou" na partida.
Foto
Taras Romanczuk "bisou" na partida. LUSA/FERNANDO VELUDO

O Rio Ave está fora das competições europeias depois de empatar 4-4 com o Jagiellonia  Bialystok, num jogo de loucos, em Vila do Conde. A segunda mão da segunda pré-eliminatória de acesso à fase de grupos da Liga Europa foi um jogo “do quase” para a formação portuguesa, que entrou praticamente a perder, com um golo de Taras Romanchuk (6’), bem ao estilo da primeira mão.

Os rioavistas chegaram a dispor de duas oportunidades para assumirem a liderança da eliminatória, precisando de marcar um golo para passar à próxima fase, mas deixaram-se surpreender pelo vice-campeão polaco. Apesar da segunda mão se ter disputado no Estádio dos Arcos, o começo do jogo foi igual ao de Bialystok, com o Rio Ave a sofrer novamente nos primeiros dez minutos. Ninguém do sector mais recuado vilacondense conseguiu cortar o cruzamento vindo da direita, de Frankowsk, e Sheridan não perdoou frente a Makaridze.

Assim, em vez de precisar de um golo para discutir a eliminatória, o Rio Ave passou a ter que marcar três para poder seguir em frente. Galeno arregaçou as mangas e pôs mãos à obra. Ou os pés, melhor dizendo. O extremo foi um dos maiores impulsionadores do ataque do Rio Ave e ao minuto 27 empatou a partida depois de assistência de Gelson Dala. No último segundo, antes da ida para os balneários, Galeno bisou com uma execução perfeita de um livre directo à entrada da área, a punir falta cometida sobre o brasileiro cedido pelo FC Porto.

O início da segunda parte foi uma cópia de uma... cópia, com a equipa de Vila do Conde a sofrer o empate aos 56’. Desta feita, o culpado foi Romanczuk, que beneficiou do posicionamento de Nadjack para fazer um golo regular. Valeu Gelson Dala, a aproveitar a confusão na área contrária para cabecear certeiro e colocar a equipa da casa pela segunda vez em vantagem no encontro.

O ascendente do jogo parecia estar do lado do Rio Ave, mas a trivela de Martin Pospisil escapou a Makaridze e cortou a vantagem emocional que os rioavistas tinham recuperado. A pintura ficou ainda mais negra com o “bis” de Romanczuk (79’). A perder e com os adeptos a abandonarem o estádio, o Rio Ave ainda deu alguns sinais de vida na recta final do encontro. Assim, num contra-ataque rápido, Galeno, mais uma vez interventivo, descobriu Damien Furtado, que estabeleceu o resultado final.

O Rio Ave acabou por falhar de forma inglória o acesso à 3.ª pré-eliminatória, onde discutiriam com o Gent a entrada na fase de grupos. De positivo, o Rio Ave pode extrair as exibições de Galeno e Dala, dois avançados com potencial para suportar as ambições da equipa na Liga.