Tesla acelera produção e promete segundo semestre com lucros

Prejuízos mais do que duplicaram no segundo trimestre de 2018, mas a facturação também aumentou bastante. Administração espera resultados positivos dentro de três meses.

Foto
LUSA/ROMAN PILIPEY

A Tesla, a marca americana de carros eléctricos e com tecnologia autónoma, aumentou a facturação no último trimestre e aponta agora para uma meta mais ambiciosa no fabrico de automóveis. Os resultados continuam no vermelho, com o prejuízo a agravar-se, mas há sinais positivos para a empresa liderada pelo carismático e controverso empresário Elon Musk.

A fabricante comunicou nesta quarta-feira uma facturação de quatro mil milhões de dólares entre Abril e Junho, mais 43% do que há um ano. Os prejuízos foram de 718 milhões de dólares, mais do dobro do que nos mesmos meses de 2017. Mas houve um aumento na margem de lucro conseguida com as vendas do Model 3, o modelo mais barato da marca e um produto-chave na estratégia da Tesla.

A fabricante espera conseguir aumentar o ritmo de produção, apontando para 50 mil a 55 mil Model 3 no próximo trimestre. Recentemente, alcançou a meta auto-imposta por Musk de cinco mil destes automóveis por semana. 

Na carta aos accionistas, Musk e o director financeiro, Deepak Ahuja, mostram-se optimistas e antecipam um resultado positivo para o próximo semestre: "Demorou 15 anos a executar a nossa meta inicial de produzir um veículo eléctrico barato, com grande autonomia e que possa também ser altamente lucrativo. Na segunda metade de 2018, esperamos, pela primeira vez na nossa história, tornarmo-nos rentáveis de forma sustentável e conseguir um fluxo de caixa positivo."