Redes sociais

Novas ferramentas do Instagram e Facebook ajudam a passar lá menos tempo

O Facebook diz que se orgulha do tempo que as pessoas lhe dedicam, mas as ferramentas devem ajudar a melhor gerir o tempo que se passa nas redes sociais.
Foto
O Google a Apple também lançaram ferramentas para ajudar as pessoas a gerir o tempo que passam online SUSANA VERA/REUTERS

O Instagram e o Facebook vão passar a mostrar os minutos que os seus utilizadores passam nas plataformas. A informação fica disponível num painel de controlo que permite perceber como se está a usar cada plataforma, definir limites máximos de utilização, e bloquear temporariamente notificações.

Atingiu o seu limite de artigos gratuitos

A rede social, que também é dona do Instagram, apresentou as ferramentas esta quarta-feira, depois de já ter confirmado, no final de Junho, “estar a trabalhar em novas formas de garantir que o tempo que as pessoas passam no Facebook é tempo bem empregue.” Este objectivo já foi definido pelo fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, como “um dos grandes focos para 2018”.

Numa apresentação das ferramentas a jornalistas, Ameet Ranadive, que tem o cargo de responsável pela área de bem-estar no Instagram, frisou que a empresa se “orgulha do tempo que os utilizadores passam a utilizar os seus produtos” e que o objectivo é apenas “dar mais poder aos utilizadores” para gerir o seu tempo. O Instagram também passou a mostrar um aviso quando os utilizadores já viram todas as novas publicações, para evitar que continuem a deslizar por fotografias antigas.

Ao PÚBLICO, o Facebook descreveu as ferramentas como o “primeiro passo” para começar a alertar os utilizadores sobre o tempo que passam nas plataformas, especialmente a partir do telemóvele perceber se estes se sentem incomodados com isso. Poderão ainda vir a ser desenvolvidas outras ferramentas para ajudar os utilizadores a melhor gerir o tempo que passam na rede social.

Foto
A informação fica reunida num novo paínel de controlo Facebook

Este ano, o Google e a Apple também lançaram sistemas deste tipo. As grandes empresas e fabricantes de aplicações e smartphones têm sido acusadas de ignorar o problema de pessoas que são constantemente bombardeadas com notificações e, por isso, têm dificuldades em largar o telemóvel. Para o Facebook, porém, o tempo que as pessoas passam nos seus produtos não é motivo de alarme, se for usado para “descobrir novos pontos de vista” ou “falar com pessoas que estão longe”. O problema é quando se pára de interagir com as pessoas (através de comentários, publicações e gostos) para apenas usar passivamente pelas plataformas. Este tipo de interacção também é muito procurado pelas marcas que publicam anúncios dos seus produtos nas plataformas.