Um mercado que vende tudo — mas em feltro

Lucy Nicholson/Reuters
Fotogaleria
Lucy Nicholson/Reuters

De uma mercearia em Londres com quatro mil artigos aberta em 2014, Lucy Sparrow passou a proprietária de uma lojinha numa esquina em Nova Iorque, três anos depois. Agora, acaba de inaugurar o seu primeiro mercado californiano. Em Los Angeles, vende 31 mil produtos todos produzidos por si, com recurso a um só ingrediente: feltro. Nas prateleiras, a dona, produtora e fornecedora — artista — exibe pizzas (30 euros a fatia), bebidas alcoólicas, frangos embalados, marisco e peças de sushi, maços de tabaco, revistas. Todos a imitar embalagens de marcas reais, mas numa versão almofadada e com mais cor.  

Lucy Sparrow, 32 anos, cose as suas criações à mão, numa “cave de feltro” localizada numa zona rural inglesa. Desenvolveu as duas primeiras lojas depois de duas campanhas de crowdfunding que excederam o valor que inicialmente pedia no Kickstarter. O “mercado” instalado no hotel Standard é quatro vezes maior que a antecessora, a “loja” nova-iorquina 8 Till Late. Com estas instalações "de arte divertida e acessível", Sparrow quer alertar para o desaparecimento das pequenas mercearias locais, "espaços da comunidade", enquanto os hipermercados ganham terreno. "É um lembrete do quão valiosas estas lojinhas em esquinas são e da cor que trazem para as nossas vidas", disse, em entrevista ao Guardian.

Sparrow Mart Supermarket é a quinta instalação da artista inglesa toda feita em feltro. A instalação está aberta até 31 de Agosto e é possível comprar todas as peças expostas — mediante o stock disponível.

Lucy Nicholson/Reuters
Lucy Nicholson/Reuters
Lucy Nicholson/Reuters
Lucy Nicholson/Reuters
Lucy Nicholson/Reuters
Lucy Nicholson/Reuters
Lucy Nicholson/Reuters
Lucy Nicholson/Reuters
Lucy Nicholson/Reuters
Lucy Nicholson/Reuters
Lucy Nicholson/Reuters
Lucy Nicholson/Reuters
Lucy Nicholson/Reuters
Lucy Nicholson/Reuters
Lucy Nicholson/Reuters
Lucy Nicholson/Reuters
Lucy Nicholson/Reuters