Arquivada classificação da Igreja Matriz de Reguengos de Monsaraz

A Igreja Matriz de Santo António tem planta de 1887 e é da autoria do arquitecto António José Dias da Silva.

Foto
DR

O processo de classificação como Monumento de Interesse Público (MIP) da Igreja de Santo António, em Reguengos de Monsaraz (Évora), foi arquivado pela Direcção-Geral do Património Cultural (DGPC), o que desiludiu o pároco local.

"Ficámos desiludidos porque tínhamos interesse na classificação", visto que o imóvel é "um exemplar único do neogótico em Portugal e um edifício ímpar a sul do Tejo", disse à agência Lusa o padre Manuel José Marques.

O anúncio relativo ao arquivamento do processo de classificação da Igreja Matriz, situada em plena Praça da Liberdade, no centro da cidade de Reguengos de Monsaraz, distrito de Évora, foi publicado nesta terça-feira em Diário da República.

A decisão, assinada pela directora-geral do Património Cultural, Paula Araújo da Silva, remonta a 16 de Maio, com base num parecer da Secção do Património Arquitectónico e Arqueológico (SPAA) do Conselho Nacional de Cultura (CNC).

Segundo o padre Manuel José Marques, na documentação que a DGPC lhe remeteu é indicado que a igreja "não reúne os requisitos para uma classificação de âmbito nacional".

"A paróquia é que tinha solicitado a classificação e, apesar de todas as referências à igreja serem positivas", no texto alusivo ao despacho, "a verdade é que entendem que não tem interesse para ser classificada", disse.

E, acrescentou, "é referido logo no texto que também não poderá ser classificada como Monumento de Interesse Municipal" por se tratar de um edifício propriedade da paróquia, pelo que foi determinado arquivar o processo de classificação.

"Com a classificação como MIP, poderíamos ter mais-valias na conservação da igreja e, além disso, sendo um imóvel com estas características únicas, para a população seria uma forma de reconhecimento do valor do seu património, mas pronto", lamentou.

A Igreja Matriz de Santo António tem planta de 1887, da autoria do arquitecto António José Dias da Silva, "o mesmo autor da Praça de Touros do Campo Pequeno", em Lisboa, e a sua construção durou até 1912, explicou à Lusa o padre Manuel José Marques.

De acordo com informações da página de Internet da Câmara de Reguengos de Monsaraz, a edificação da igreja foi determinada pela Junta de Paróquia local, "em terrenos mais próximos dos novos Paços do Concelho", com o objectivo de "aumentar o número de fiéis".