Viagem Medieval arranca com casamentos, guerreiros e donzelas enamoradas

Até 12 de Agosto, a cidade recua ao século XIV. A grande novidade é o serviço "Pedro e Inês", que permite a um casal recriar a experiência de um casamento no povoado.

Fotogaleria
Paulo Pimenta
Fotogaleria
Fernando Veludo/NFactos
Fotogaleria
Nelson Garrido

O casal que esta quarta-feira protagoniza a primeira encenação de um casamento na Viagem Medieval de Santa Maria da Feira vai formalizar a ligação horas antes na conservatória de registo civil, para "festa a sério" com amigos emigrados.

Carina Sá e Bruno Silva residem no concelho, são visitantes assíduos da recriação histórica que aí decorre até 12 de Agosto e compraram o serviço "Pedro e Inês", que, por 150 euros, permite que, em cada dia do evento, um casal possa recriar a experiência de um casamento no povoado, com trajes medievais e direito a uma certidão de matrimónio ao estilo da época.

"Eu e o Bruno já estamos juntos há 11 anos e temos um menino de 15 meses, mas vamos casar este ano, a 20 de Outubro, e, como sempre fui fã da Viagem Medieval, mal soube destes casamentos quis logo um também", conta a noiva à Lusa.

"Em Outubro vai ser uma festa completa, com casamento, baptizado do nosso filho e aniversário da minha sogra, tudo na mesma data, mas, para que este dia na Viagem também seja a sério, antes de irmos para lá vamos mesmo à conservatória, dar início ao processo civil oficial", revela.

A experiência na Viagem será acompanhada por cerca de 15 familiares e amigos do casal, entre os quais vários emigrantes que, por esta altura, se encontram de férias em Portugal. "Como alguns não podem vir cá novamente em Outubro para o casamento a sério, convidámo-los a estarem connosco agora, para que, de forma diferente, partilhem na mesma deste momento", explica Carina.

Detalhe ainda por definir na véspera do casamento medieval é se António, nos seus 15 meses de idade e "caracóis como os de um anjinho", vai trajar na cerimónia ao estilo contemporâneo ou usar roupas da Idade Média.

Entre os outros packs que a organização tem disponíveis para proporcionar ao público experiências inclusivas no evento, inclui-se o que transforma um visitante adulto em "Cavaleiro por um dia" ou que o proporciona a meninas a possibilidade de se sentirem fidalgas e rainhas.

Grande parte dos interessados nesses serviços são cidadãos estrangeiros, no que os oriundos do Brasil se destacam em número, com dois grupos de 40 pessoas já confirmados este ano, e também por apostarem em visitas orientadas à globalidade do recinto.

Outras nacionalidades preferem experiências mais concretas: o alemão Janosch Kuno será o primeiro "Guerreiro por um dia" da Viagem de 2018, o francês Benjamin Binder participa com a esposa no tour "Da Realeza ao Povoado", quatro meninas espanholas vão ser presenteadas com a principesca "Inês por um dia" e um grupo de franceses e luxemburgueses requisitou o pack "Viver a Viagem", que inclui visita guiada, repasto e espectáculo em lugar VIP.

"Tipicamente, a abordagem por parte de estrangeiros é 'Vou dormir no Porto e ouvi falar da vossa festa medieval'", revela fonte da organização. "Contactam por e-mail e, mais recentemente, também por telefone, porque querem garantir que têm ingresso", explica.

Os espanhóis vêm-se revelando mais autónomos, já que "compram directamente os packs-experiência nos operadores turísticos do seu país de origem, o que é reflexo do trabalho que o Município da Feira desenvolveu em Espanha e das parcerias aí estabelecidas com as empresas do sector."

Já entre os portugueses, uma proposta que tem registado crescimento é a mais intimista "Noite dos Enamorados", que, por 150 euros, disponibiliza a duas pessoas um jantar romântico entre o arvoredo, o lago e as grutas do espaço "Banhos de São Jorge". O pack inclui ainda música de harpa interpretada ao vivo, banhos pulverizados aos pés e duas massagens de uma hora por profissionais.

Nisa Jorge requisitou essa experiência como surpresa ao companheiro e conta: "Eu adoro a Viagem, mas ele não. Então decidi mostrar-lhe que também lá podíamos ter um dia diferente, num espaço, calmo, mais relaxado e tranquilo, longe da confusão."

A chegada à cidade em hora de ponta e dia de jogo no estádio do Feirense foi motivo de stress adicional, mas a diferença de ritmo nos Banhos de São Jorge compensou: "Ele nem sabia que ali existiam aquelas grutas e ficou mesmo muito agradado. Além disso, adorámos a refeição, que foi muito saborosa e servida à moda de antigamente."