Opinião

Amar livros baratos

Gosto da maneira como o alfarrabista Campos Trindade vende livros, teimando com bons livros a preços baixos.

Gosto da maneira como o alfarrabista Campos Trindade vende livros, teimando com bons livros a preços baixos. Pode-se gostar de tudo - poesia, olissipografia, botânica - que isso em nada afecta o amor humano pelas pechinchas. Um belo livro por uma moeda é um dos puros prazeres desta vida.  

Agora é o meu amigo Bernardo Trindade que trata de tudo mas foi com 11 anos que eu comecei a comprar livros naquela bonita sala na Rua do Alecrim onde o pai Trindade simpatizava com os leitores vorazes com pouco poder de compra, fossem de que idade fossem. Saía sempre de lá com a pasta cheia de tesouros que começava a acariciar mal chegava ao comboio.

Ontem, ao fazer 63 anos, um número nunca dantes atingido (como nunca deixou de acontecer a quem se torna aniversariante), resolvi passar umas horas num sítio que eu cá sei onde todos os livros custam 1 euro. Os livros foram todos oferecidos e o dinheiro vai todo para uma boa causa.

É preciso paciência e olho, claro. Sem caça não há prazer, sem tédio não há surpresa. Acontecem quando menos se espera. É um shot de adrenalina que vicia para a vida inteira.

Uma vantagem é guardarem os livros nos caixotes onde foram arrumados, facilitando a identificação de leitores com gostos semelhantes aos nossos. Não são só as great minds que "thinkam" alike.

Quem esteja teso pode levar livros para trocar. O custo: niente. É só a chatice. Melhor ainda é um senhor que odeia livros porque roubam espaço às outras tralhas e que nos incita a levá-los todos de graça.