Dados vão poder ser transferidos mais facilmente entre Google, Facebook, Microsoft e Twitter

Os gigantes tecnológicos juntaram-se para facilitar para os seus utilizadores a transferência de dados pessoais de uma plataforma para outra. Parte do objectivo é cumprir as novas regras de protecção de dados na União Europeia.

As empresas motivam outros programadores a juntarem-se ao projecto
Foto
As empresas motivam outros programadores a juntarem-se ao projecto © Scanpix Sweden / Reuters

Dados pessoais como fotografias e publicações nas redes sociais vão passar a poder ser transferidos mais facilmente entre vários sites dos gigantes da Internet. Muitas plataformas já oferecem algum sistema para descarregar dados dos utilizadores, mas raramente estão conectados a outros serviços. O Facebook, o Google, a Microsoft e o Twitter anunciaram que estão a trabalhar num sistema em código aberto . A missão faz parte do Projecto de Transferência de Dados que começaram, em 2017, para “expandir a portabilidade dos dados além da capacidade dos utilizadores copiarem os seus dados”.

O novo Regulamento Geral para a Protecção de Dados (RGPD), em vigor desde Maio, faz parte dos motivos para a mudança. O artigo 20º obrigada as empresas a facilitar a transferência dos dados dos utilizadores através de vários serviços ao fornecer os dados "num formato estruturado, de uso corrente e de leitura automática".

No futuro, o objectivo é permitir aos consumidores passar dados directamente de um serviço para o outro sem terem de descarregar todos os dados para o computador e voltar a carregá-los para outro site. “Há pessoas que usam uma aplicação para partilhar fotografias, uma rede social para partilhar informação com amigos, e uma aplicação de fitness para monitorizar o exercício. Cada vez mais, as pessoas querem poder movimentar os seus dados entre estes serviços todos”, lê-se no comunicado do Facebook sobre o assunto.

De acordo com o guia do novo projecto, com as mudanças, se um utilizador discordar da política de privacidade de um serviço online, pode deixar de utilizá-lo sem perder o acesso aos dados que lá colocou. Basta transferi-los para outro serviço que prefira de forma segura. Para o Google, esta “portabilidade de dados facilita o processo dos consumidores experimentarem novos serviços, e usarem aqueles de que gostam mais.”

Nesta fase do projecto, as empresas estão a investir na criação de serviços de autenticação (para conseguir aceder aos dados, em diferentes serviços, de forma segura) e adaptadores para que os dados retirados de uma plataforma, funcionem noutra. Como se trata de um projecto em código aberto, o Twitter, Facebook, Google e Facebook motivam a participação de outros programadores.