Encontrados sucessores para Rudisha e Masterkova?

Resultados nos 800m masculinos e na milha feminina, em Londres, impressionam na Liga de Diamante.

800 metros, Corrida de longa distância, Revezamento 4 × 400 metros, Corrida de meia-distância, Esporte
Foto
Reuters/MATTHEW CHILDS

Londres acolheu neste fim-de-semana o último meeting  da Liga de Diamante do atletismo antes dos Campeonatos Europeus de Berlim, que arrancam a 7 de Agosto. E, com tempo perfeito, algum calor e pouco vento, algumas provas proporcionaram resultados sensacionais, em especial os 800m masculinos e a milha feminina.

Em ambas as disciplinas podem ter ficado formalizadas candidaturas a prazo para substituir os actuais recordistas mundiais, o queniano David Rudisha e a russa Svetlana Masterkova, respectivamente.

Nos 800m foi mesmo na pista olímpica de Londres que Rudisha obteve 1m40,91s, nos Jogos de 2012. Neste domingo, o queniano Emmanuel Korir conseguiu ser o melhor perante fortíssima oposição para se impor com 1m42,05s, adiante do americano Clayton Murphy e de outro queniano, Wyclife Kinyamal (ambos fizeram 1m43,12s), enquanto Nijel Amos, do Botswana, era quarto.

Amos, medalha de prata olímpica em 2012, atrás de Rudisha, não mais se tinha aproximado do tempo então alcançado (1m41,73s) até à última sexta-feira, quando venceu a Liga de Diamante do Mónaco, em 1m42,14s, e tinha o desgaste brutal dessa prova nas pernas. Emmanuel Korir, de 23 anos, já bem conhecido do circuito internacional, tinha como melhor marca, até este domingo, 1m43,10s. Mas de forma notável correu recentemente os 400m em 44,21s, em Nairobi, mostrando bases invulgares para um oitocentista, neste particular bem superiores às de Rudisha. Com a marca dete domingo, passou a ser o sexto melhor de sempre.

Na milha feminina, um andamento forte e constante acabou por lançar a prova para o terceiro melhor resultado de sempre – embora numa distância cada vez menos corrida. O recorde de Svetlana Masterkova (4m12,56s, em 1996) não tremeu ainda de forma visível, mas um final fortíssimo deu à holandesa Sifan Hassan um resultado de 4m14,71s, Um sinal de que dificilmente será ultrapassada nos Europeus, na prova que escolher, 1500m ou 5000m.

Ainda neste domingo a russa Mariya Lasitskene, que perdera em Rabat a 13 de Julho uma invencibilidade de mais de dois anos no salto em altura, voltou com naturalidade aos triunfos e passou 2,04m, igualando a sua melhor marca mundial do ano. Atrás, a italiana Elena Vallortigara surpreendeu e bateu por duas vezes o anterior melhor de 1,96m, com 2,00m e 2,02m, passando a segunda em 2018.

A americana Kendra Harrison ganhou nos 100m barreiras (12,36s) com outra melhor marca do ano, os 200m caíram para um jamaicano parecido com Usain Bolt, Akeem Bloomfield, com uma grande marca pessoal de 19,81s, e no sábado o maior destaque terá ido para o americano Ronnie Baker, vencedor nos 100m com 9,90s, e para o norueguês Karsten Warholm, ao ganhar os 400m barreiras em 47,65s, recorde nacional.