Cinema

Há planos para seis filmes sobre o resgate na gruta tailandesa — e um documentário já pronto

De Hollywood à Tailândia, seis produtoras estão a preparar filmes sobre o drama dos 12 meninos e um treinador que prendeu a atenção do mundo. Governo quer acompanhar todos os projectos. Um documentário do Discovery Chanel estreia-se já dia 30 em Portugal.
Foto
Discovery Channel

Ainda os 12 rapazes tailandeses não tinham saído da gruta onde a água os aprisionou e já estava em curso, e no local, um projecto para fazer um filme sobre o drama que o mundo acompanhou durante os primeiros dias de Julho. Dez dias depois, já estão seis filmes de ficção na calha e há um documentário pronto - Resgate na Tailândia, do Discovery Channel, que passa dia 30 de Julho em Portugal. O governo tailandês quer criar esta semana uma comissão especial para acompanhar estes projectos e garantir a veracidade da história, mas também “a imagem da Tailândia”. 

Atingiu o seu limite de artigos gratuitos

A dramatização do desaparecimento, localização e resgate dos jogadores da equipa Mu Pa ("javalis selvagens") seguirá assim o mesmo caminho que outras crises recentes trilharam no ramo da ficção baseada em factos reais. Desde o mais recente filme The 33 (2015) sobre o resgate dos mineiros chilenos, com Antonio Banderas, Rodrigo Santoro e Juliette Binoche, até a casos relacionados com catástrofes naturais ou atentados que suscitaram grande atenção do público global, do tsunami de 2004 no Oceano Índico (The Impossible) à queda das Torres Gémeas em Nova Iorque (World Trade Center, United 93) ou ao atentado na Maratona de Boston (Patriots Day - Unidos Por Boston, Stronger - A Força de Viver).

O ministro da Cultura tailandês, Vira Rojpojchanarat, explicou quinta-feira ao portal local The Nation que há “cinco empresas internacionais de produção de cinema que propuseram fazer um filme e um documentário sobre a operação de salvamento aos ministérios do Comércio e dos Negócios Estrangeiros”. As estas “produtoras de Hollywood”, como as descreve o órgão de informação, junta-se, segundo a revista especializada Variety, um sexto filme de ficção sobre o mesmo acontecimento, da responsabilidade de uma produtora tailandesa.

As solicitações são tais que o Ministério da Cultura tailandês quer instituir então uma comissão especial para acautelar “a exactidão da história, os direitos da [equipa de futebol], os profissionais de salvamento e outras agências relacionadas, bem como a imagem da Tailândia. Também se preocuparão com o impacto das produções nos locais de filmagem”, disse o ministro.

Os 12 rapazes e o seu treinador de 25 anos desapareceram a 23 de Junho na gruta de Tham Luang (Chiang Rai), no Norte da Tailândia. A exploração do sistema de grutas tornou-se numa história de alcance mundial quando esta foi inundada pela chuva que caiu antes do início das monções e aprisionou o grupo, cujo paradeiro só foi detectado dez dias depois. Aí começaria nova fase da história, com as tentativas de resgate e o estudo da forma mais segura de os retirar do complexo de grutas, e com a morte de um dos mergulhadores que tentava auxiliá-los.

Uma equipa internacional juntou-se em torno do caso e jornalistas de todo o mundo afluíram à entrada da gruta. Foram bombeados litros de água das grutas e uma operação de três dias terminou a 10 de Julho com os 12 rapazes e o seu treinador salvos e hospitalizados sem danos de maior. Paralelamente, o milionário e empresário espacial Elon Musk envolveu-se mediaticamente na história, primeiro com planos de um submarino para o resgate e depois numa troca de impropérios via Twitter.

Os primeiros candidatos a filmar a história foram os profissionais da Pure Flix Entertainment, associada a filmes relacionados com religião. Os seus responsáveis estavam na Tailândia já a estudar o local de filmagem e a fazer entrevistas durante o resgate, tendo-se mesmo filmado na região. Depois surgiu o realizador Jon M. Chu (Mestres da Ilusão 2) e a produtora Ivanhoe Pictures. A Variety indica ainda que a DeWarrenne Productions, cujo responsável é o produtor e realizador de origem tailandesa e irlandesa Tom Waller, está também a trabalhar num guião sobre o resgate. 

A Tailândia é governada por uma Junta Militar desde 2014, após um golpe de Estado. A sua aposta na gestão da imagem é paralela à importante fonte de receitas que constitui o turismo para um país com história milenar, paisagens luxuriantes e praias paradisíacas. Em torno destes projectos, dos primeiros aos mais recentes, surgiram já várias preocupações, desde a do próprio Jon M. Chu sobre o foco das histórias poder voltar-se para as equipas internacionais ou sobre a exploração de um drama que só por si já foi inspirador sem ser necessária a sua reconstituição.

Quanto ao documentário do Discovery, estreia-se dia 23 na Tailândia e já passou nos EUA, chegando a Portugal no dia 30, às 21h. “Resgate na Tailândia será o primeiro documentário a explorar e a revelar os diversos ângulos desta inacreditável missão de resgate”, diz o canal no comunicado português sobre o filme que se focará no “drama humano e científico” do processo.

No próprio dia do resgate, segundo a BBC, as autoridades tailandesas ditavam já que “a zona [das grutas] vai tornar-se um museu vivo, para mostrar como a operação se desenrolou”, como disse Narongsak Osottanakorn, ex-governador e responsável pela operação de resgate. “Tornar-se-á outra grande atracção da Tailândia.”