Há 1605 bolsas para quem for estudar para o interior no próximo ano

Programa Mais Superior chega a mais 175 estudantes no próximo ano lectivo. Apoios são de 1500 euros anuais, mas sobem para quem tiver mais de 23 anos ou estudar em cursos superiores profissionais.

,
Foto
Total de bolsas para este ano representa um aumento de 11% face ao último ano lectivo, diz ministério de Manuel Heitor LUSA/ANTÓNIO COTRIM

O Governo vai apoiar mais 175 alunos que pretendam estudar em instituições de ensino superior do interior do país do que no ano passado. O novo regulamento do programa Mais Superior será divulgado este sábado pelo Ministério da Ciência e Ensino Superior, mas ainda não tem data para a sua publicação. Tem disponíveis 1605 bolsas de 1500 euros anuais. As candidaturas decorrem até Novembro.

No último ano lectivo, 3690 alunos eram já apoiados ao abrigo deste programa. Em comunicado, o Ministério da Ciência e Ensino Superior valoriza que o total de bolsas disponível para este ano representa um aumento de 11% face ao último ano lectivo e de mais de 70% em relação a 2014/15, quando este programa foi lançado. Desde então, o número de estudantes apoiados tem vindo sempre a crescer.

O reforço do programa Mais Superior surge no mesmo ano em que o Governo decidiu reduzir em 5% o número de vagas disponíveis nas instituições de ensino superior de Lisboa e do Porto para incentivar mais estudantes a escolherem universidades e politécnicos do interior do país. No entanto, mais de metade das vagas cortadas nas duas principais cidades acabou por ser usada para reforçar a oferta noutras instituições do litoral.

A verba destinada a apoiar os estudantes tem uma majoração, que pode chegar a mais 225 euros por ano, para quem ingressa no ensino superior através do concurso para maiores de 23 anos e para os alunos dos cursos técnicos superiores profissionais.

As candidaturas a este apoio aos estudos são feitas através na plataforma BeOn da Direcção-Geral do Ensino Superior e estão abertas até ao dia 15 de Novembro.

O Mais Superior é um programa de incentivo à frequência do ensino superior público em regiões do país “com menor procura e menor pressão demográfica”. E abrange também os estudantes que interromperam os seus estudos. As bolsas, num valor de 1500 euros anuais, podem ser requisitadas quer por estudantes que reingressam no mesmo curso que anteriormente frequentaram, quer por aqueles que mudam de instituição de ensino e/ou curso.

O programa Mais Superior tinha sido lançado em 2014, pelo anterior Governo, juntamente com o Retomar, um apoio que era destinado a pessoas que tinham abandonado o ensino superior e pretendiam voltar a estudar. Há dois anos, já com Manuel Heitor, os dois programas foram fundidos.

As 1605 bolsas agora anunciadas destinam-se a alunos que ingressem este ano nas universidades e politécnicos públicos. O concurso nacional de acesso ao ensino superior arrancou na passada quarta-feira, com 50.852 lugares disponíveis. Nos primeiros dois dias candidataram-se 11.523 estudantes, menos 1160 do que em igual período do ano anterior. As candidaturas estão abertas até 7 de Agosto e os resultados das colocações são conhecidos a 10 de Setembro.