O calor surpreende países habituados ao frio

Finlândia Otto Ponto/Lehtikuva/via REUTERS ,Otto Ponto/Lehtikuva/via REUTERS
Fotogaleria
Finlândia Otto Ponto/Lehtikuva/via REUTERS ,Otto Ponto/Lehtikuva/via REUTERS

Para muitos portugueses, o Verão de 2018 está irreconhecível. Um mês dentro da época e o sol tarda, o calor parece adiado e as nuvens têm trazido chuva aqui e acolá. Na Europa há países mais habituados ao frio onde a surpresa não é menor: as temperaturas têm sido mais altas do que as habituais.

No norte da Sibéria, o termómetro diz que Junho foi o mês mais quente dos últimos 100 anos, de acordo com dados do Centro Hidrometeorológico da Rússia. Nos últimos dois meses, regiões como a península escandinava, Reino Unido, Irlanda ou Canadá têm transpirado com o calor intenso. Na região canadiana do Quebeque, dezenas de pessoas morreram devido às temperaturas elevadas, como testemunha o relatório publicado na quinta-feira pela Organização Mundial de Meteorologia (OMM).

As fotos desta galeria mostram que a vida no Verão mudou ligeiramente em países como Noruega, Finlândia ou Suécia. Em Makkaur (Noruega), chegou-se aos 25,2ºC à noite, a 18 de Julho, reporta a OMM. A Irlanda está a braços com uma seca. No Árctico, houve dias acima dos 30ºC. A Suécia, que tem vivido um Verão atípico, teve de pedir ajuda internacional por causa dos incêndios. Além do calor, não há precipitação e estão reunidas condições propícias para fogos florestais. Victor Ferreira

Finlândia
Finlândia REUTERS/Lehtikuva
Noruega
Noruega LUSA/AUDUN BRAASTAD
Noruega
Noruega LUSA/GORM KALLESTAD
Suécia
Suécia T News Agency/Hossein Salmanzadeh
Holanda
Holanda EPA/ROBIN VAN LONKHUIJSEN
Japão
Japão REUTERS/Issei Kato
Sugerir correcção