Instituições reforçam aposta nas tecnologias da informação

Governo autorizou aumento de vagas nesta área e universidades e politécnicos aproveitaram, fazendo crescer a oferta em 4,5%. Há mais de uma centena de cursos e quase 6500 vagas.

,
Foto
manuel roberto

É nas tecnologias de informação, comunicação e electrónica que se encontro o maior crescimento no número de vagas disponíveis para o concurso nacional de acesso ao ensino superior deste ano, que começa esta quarta-feira. O total de lugares para novos alunos nestes cursos cresce 4,5%, depois de o Governo ter definido a área como prioritária para o país em termos de formação superior.

Há 111 cursos de tecnologias da informação e comunicação nas universidades e politécnicos públicos, que totalizam 6484 lugares para novos alunos, mais 279 do que no ano passado. Este é já o segundo ano de crescimento da oferta nesta área de estudos, em consequência de uma estratégia do Governo, que recomendou às instituições de ensino, no despacho orientador para a fixação de vagas, que abrissem preferencialmente lugares nesta área.

A intenção era responder aos objectivos para a literacia digital fixados até 2030 e foi aproveitada pelas instituições para aumentar a oferta numa área em crescimento, em que os diplomados estão a encontrar emprego muito rapidamente por via da fixação em Portugal de várias multinacionais da tecnologia e também da expansão das empresas nacionais do sector.

Nestes dois anos, as vagas dos cursos das tecnologias da informação e comunicação cresceram ao todo 7%. Esse aumento é sobretudo evidente nas instituições do interior do país, onde a oferta de cursos desta área aumentou 22% neste período. Ainda assim, as 1765 vagas nas tecnologias em cursos do interior do país representam menos de um terço (27,2%) do total de lugares disponíveis.

Já no ano passado as tecnologias da informação e comunicação tinham sido uma das áreas que justificaram o aumento de vagas no ensino superior, juntamente com a Física, que foi também apontada como estratégicas pelo Governo. No entanto, e ao contrário do que aconteceu no ano passado, em que os cursos de Física tiveram um crescimento de 20% nas vagas, as instituições de ensino superior não aproveitaram as orientações e travaram a aposta nesta área para este concurso nacional de acesso. A oferta é aumentada em apenas 14 lugares. Há agora 440 vagas em 12 cursos de Física.