CMVM diz que oferta concorrente à EDP Renováveis pode ser registada antes da dos chineses da CTG

Para o registo de uma eventual nova oferta à EDP Renováveis a CMVM não teria de esperar pelo registo da OPA do grupo chinês.

Energias de Portugal, Portugal
Foto
A EDP Renováveis é liderada por Manso Neto Nuno Ferreira Santos

A Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) disse hoje que uma eventual oferta sobre a EDP Renováveis concorrente da do grupo chinês China Three Gorges (CTG) pode ser registada em primeiro lugar, antes da já anunciada.

Em resposta a um requerimento da EDP Renováveis, o regulador dos mercados financeiros esclareceu que “uma eventual oferta concorrente poderá ser registada primeiro do que a oferta inicial, atenta a autonomia entre os procedimentos de registo de cada uma das referidas ofertas, desde que se verifiquem preenchidos primeiro todos os requisitos legais de que aquele registo depende”.

Ou seja, para o registo de uma eventual nova oferta à EDP Renováveis a CMVM não teria de esperar pelo registo da OPA do grupo chinês.

Em Maio, a China Three Gorges (que já é o maior accionista da EDP com 23% do capital) anunciou uma oferta pública de aquisição (OPA) sobre a EDP, oferecendo uma contrapartida de 3,26 euros por acção, e indicou ainda que, caso esta tenha sucesso, também avançará com uma OPA sobre 100% do capital social da EDP Renováveis (EDPR) a 7,33 euros por cada título.  

A EDP controla 82,6% do capital social da EDP Renováveis, que tem a sua sede em Madrid.