Catarina emociona-se a falar de Semedo, um “homem extraordinariamente generoso”

Coordenadora do BE diz que a vida do ex-dirigente “é uma história que está ligada às coisas mais bonitas da nossa democracia, às causas todas, a toda a generosidade. " Eu, pessoalmente, também tenho uma gratidão” para com ele.

Catarina Martins partilhou com João Semedo a coordenação do BE
Foto
Catarina Martins partilhou com João Semedo a coordenação do BE Miguel Manso

A deputada e coordenadora do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, emocionou-se nesta terça-feira ao fazer uma declaração sobre a morte de João Semedo, afirmando que o ex-coordenador do BE “vai fazer, seguramente, muita falta”. “Foi um homem combativo até ao fim pelas causas em que acreditava todos os dias”, declarou a dirigente do Bloco, no Porto, junto à Cooperativa Árvore, onde decorre o velório do antigo deputado que morreu nesta terça-feira.

Acompanhada do ex-líder do grupo parlamentar do BE, José Manuel Pureza, a coordenadora bloquista referiu-se a Semedo como alguém “extraordinariamente generoso". "Ficará, seguramente, na história de avanço da nossa democracia e deixa-nos a enorme responsabilidade de continuarmos o seu trabalho nas causas que continuava a abraçar e naquelas que ainda estão por fazer. Estamos cá para isso”.

Emocionou-se sobretudo quando os jornalistas lhe perguntaram qual era o maior agradecimento que fazia ao colega de bancada, numa alusão ao post que colocou na sua página do Facebook, onde surge ao lado de Semedo com a frase “Obrigado, João”. Após uma pausa e com lágrimas nos olhos, declarou: “A história da democracia está também ligada a João Semedo, não só porque começou muito jovem a ser activista contra o fascismo, mas porque foi um construtor do Estado social e fê-lo enquanto homem político nas responsabilidades que assumiu - primeiro no PCP, mais tarde no Bloco de Esquerda - mas também enquanto homem na sua profissão [de médico], na maneira como alterou a forma como o Serviço Nacional de Saúde trabalha, como lida com os mais vulneráveis dos vulneráveis”. "[João Semedo] é uma história que está ligada às coisas mais bonitas da nossa democracia, às causas todas, a toda a generosidade. E eu, pessoalmente, também tenho uma gratidão” [para com ele], disse Catarina Martins com a voz embargada.

Minutos antes de Catarina Martins falar aos jornalistas, Francisco Louçã, o ex-coordenador do Bloco de Esquerda, entrava na Cooperativa Árvore para o velório de João Semedo de quem era amigo pessoal.

O Governo far-se-á representar no velório do antigo deputado do BE, pelo secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Pedro Nuno Santos. Para esta quarta-feira está prevista a presença do presidente do PS e do líder parlamentar, Carlos César.

O funeral do ex-coordenador do Bloco de Esquerda realiza-se esta quarta-feira pelas 13h30. O corpo ruma ao cemitério do Prado de Repouso onde será cremado.