Tejo

Obra de 2,3 milhões deixa Vila Franca de Xira mais perto de Lisboa

Município vila-franquense inaugura mais 2 quilómetros de ciclovia e passeio ribeirinho na Póvoa de Santa Iria. Câmaras de Loures e Lisboa têm planos para ligar ao Parque das Nações
Fotogaleria

A Câmara de Vila Franca de Xira inaugurou, no sábado, o Parque Ribeirinho Moinhos da Póvoa e a Ciclovia do Tejo, infra-estruturas orçadas em 2, milhões de euros que concretizaram a requalificação da frente ribeirinha em toda a zona sul do concelho, até ao limite com o vizinho concelho de Loures. Com esta obra, o município vila-franquense passa a ter 12 dos seus 22 quilómetros de zona ribeirinha (margem direita do Tejo) requalificados e adaptados ao desenvolvimento de actividades desportivas e de lazer. O próximo passo está previsto para o corredor entre Alverca e Sobralinho, numa intervenção orçada em 6 milhões de euros.

Atingiu o seu limite de artigos gratuitos

Mas outro dos grandes objectivos dos autarcas locais é conseguir, por esta via, estabelecer uma ligação ribeirinha (pedonal e ciclável) entre Vila Franca de Xira e o Parque das Nações. O presidente da autarquia vila-franquense, Alberto Mesquita, sabe que a Câmara de Loures tem “praticamente concluído” o projecto de construção do passeio ribeirinho e da ciclovia entre o limite do concelho de Vila Franca e o rio Trancão. São quatro quilómetros, numa obra que também deverá contar com apoios comunitários. Para ligar ao Parque das Nações faltará, depois, uma segunda fase ainda em território de Loures, com uma ponte sobre o rio Trancão. E caberá a Lisboa concluir a ligação com o Parque das Nações.

João Teixeira, presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo (CCDR-LVT), presente na cerimónia de inauguração, disse ao PÚBLICO que “há a possibilidade de haver financiamento para todo o resto do perímetro paralelo ao Tejo. Há possibilidades e há todo o interesse em que venha a ser feita a requalificação em toda esta zona”.

Alberto Mesquita vincou que este processo de requalificação da frente ribeirinha do Tejo e de criação de condições para que as populações voltem a poder usufruir das margens do rio está a ser desenvolvido numa perspectiva intermunicipal, envolvendo Vila Franca de Xira, Loures e Lisboa. “É uma relação e uma visão intermunicipal, porque nada é estanque. Será muito importante para as populações de Lisboa, de Loures e de Vila Franca de Xira estarem interligadas através da frente ribeirinha”, frisou o presidente da câmara vila-franquense que, pelas conversas que mantém com o seu congénere de Loures, julga que a candidatura do projecto para ligar ao Trancão já teve acolhimento dos fundos comunitários.

João Teixeira revela que tem havido, também, contactos entre a Câmara de Lisboa e a CCDR-LVT com o objectivo de dar seguimento a este processo de requalificação ribeirinha “numa parte muito inicial do Parque das Nações, onde não tem continuidade, porque na outra parte do Parque das Nações está construído já há alguns anos”, concluiu.

Para além da ciclovia e do caminho pedonal ribeirinho numa extensão de cerca de dois quilómetros, a obra agora inaugurada na Póvoa de Santa Iria engloba zonas de lazer, parque de estacionamento, marina, lagos (tanques) para a iniciação à canoagem e à vela, hangar para armazenamento de embarcações e instalações para a secção náutica do União Atlético Povoense, que vai gerir as actividades náuticas ali desenvolvidas.