Palcos da semana

A música vem de toda a parte para conviver com artes performativas, uma grande homenagem e um Mimo, enquanto um realizador se faz curador.

Cabo Verde, Prix découvertes RFI
Foto
Elida Almeida N'Krumah Lawson-Daku

Música
Do mundo para Sines

Se o assunto é músicas do mundo, a direcção a tomar é Sines, palco do maior festival português do género, este ano a comemorar a 20.ª edição. Começa por oferecer, em jeito de aperitivo, quatro noites de concertos em Porto Covo, por músicos como Aldina Duarte, Barbez, Karina Buhr, Vieux Farka Touré ou Robert Finley. A partir de dia 23, fixa-se então na cidade de Vasco da Gama, com uma vasta comitiva em que cabem a pós-rock-folk dos eslovenos Sirom, o violino endiabrado do húngaro Lajkó Félix, as canções da cabo-verdiana Elida Almeida, a retro-pop-folk da sudanesa Alsarah, o canto gutural dos russos Huun-Huur-Tu, o acordeão sem barreiras do finlandês Kimmo Pohjonen, o jazz caribenho dos britânicos Sons of Kemet, a longa carreira do zimbabuano Oliver "Tuku" Mtukudzi, a pop da libanesa Yasmine Hamdan e muito mais. Em paralelo, o Festival de Músicas do Mundo de Sines promove oficinas, contos, exposições e uma feira do livro e do disco, entre outras iniciativas.

SINES Vários locais
De 19 a 28 de Julho. Programa completo aqui.
Bilhetes de 10€ a 20€ (concertos nocturnos no castelo) e 5€ a 10€ (Centro de Artes); entrada livre para os restantes espectáculos. Passe de 30€ a 50€

 

PÚBLICO -
Foto
Rafael Alvarez leva ao Citemor No Intervalo de Uma Onda e Na Onda da Distância Elisabeth Vieira Alvarez

Festival
Entre Ivo e Severo

O festival de artes performativas mais antigo do país regressa ao Verão, depois da excepcional edição outonal de 2017. O 40.º Citemor abre e fecha com concertos: respectivamente, do músico, artista visual e performer búlgaro Ivo Dimchev e do cantautor português Luís Severo. Entre eles, é dado palco a dez espectáculos, de criadores como Rafael Alvarez, Paula Diogo, João Fiadeiro, Mónica Valenciano, Diana Gadish ou Francisco Camacho. A vídeo-arte também volta a entrar no Citemor, cortesia da extensão Loops.Lisboa.

MONTEMOR-O-VELHO, COIMBRA e FIGUEIRA DA FOZ
De 19 de Julho a 11 de Agosto.
Preço do bilhete definido pelo espectador

 

PÚBLICO -
Foto
Bob Geldof Carlo Allegri/Reuters

Música
Por Madiba

Dia 18 de Julho é Dia de Mandela. Por todo o mundo, celebra-se o legado daquele a que chamaram "o estadista mais amado do mundo". Este ano é especial: assinala-se o centenário do nascimento de Madiba (nome do clã a que pertencia), Nobel da Paz e primeiro Presidente negro da África do Sul. Em Portugal, a maior das festas está num tributo musical à beira-mar. É conduzido por estrelas de vários quadrantes, do músico-activista Bob Geldof ao rocker Steven Tyler, passando por Martin Garrix, Kaiser Chiefs, Wyclef Jean, Jimmy P, Gabriel O Pensador, Youssou N'Dour, Pablo Milanés ou Rui Veloso. A totalidade dos lucros reverte para a Fundação Nelson Mandela.

LEÇA DA PALMEIRA Praia do Aterro
De 18 a 20 de Julho.
Bilhetes a 40€ (dia) e 100€ (passe)

 

PÚBLICO -
Foto
DR <i>Torso Vermelho</i>, de Hein Semke

Arte
Sapinho curador

Joaquim Sapinho, realizador de cinema interessado em arte – basta lembrar a instalação Liquid Skin, que montou no MAAT, em 2016, com o (também realizador) tailandês Apichatpong Weerasethakul –, é convidado a transformar-se em curador de uma exposição baseada na Colecção Gulbenkian. Mais do que seleccionar peças (entre elas, o Torso Vermelho de Hein Semke), organizou-as num percurso pelo museu, com a migração como ideia condutora. E vai estar à conversa com o público no próximo sábado, às 16h (repete a 21 de Setembro, às 17h), para explicar o processo. A inauguração de Convidado de Verão: Joaquim Sapinho integra o programa Jardim de Verão, que até 22 de Julho ocupa a Fundação Gulbenkian com música, ópera, cinema, leituras e conferências.

LISBOA Museu Calouste Gulbenkian
De 20 de Julho a 24 de Setembro. Todos os dias, excepto terça, das 10h às 18h.
Bilhetes a 10€ (entrada no museu)

 

PÚBLICO -
Foto
Paulo Pimenta

Festival
Terceiro Mimo

O festival brasileiro Mimo atravessa o Atlântico pelo terceiro ano consecutivo para se instalar na margem do Tâmega com um cartaz musical que está longe de se limitar ao eixo Brasil-Portugal. Além de Almério, Dona Onete, Baiana System e Otto de um lado, e de Dead Combo, Marta Pereira da Costa e Bruno Pernadas do outro, recebe o norte-americano Jack Dejohnette, o argentino Pablo Lapidusas, o sérvio Goran Bregovic, o israelita Shai Maestro, a mauritana Noura Mint Seymali, os moçambicanos Timbila Muzimba e a Orquestra Chinesa Cheong Hong de Macau, entre outros. Oferece também cinema, oficinas, masterclasses, debates, exposições, actividades para crianças e uma "chuva de poesia" por Amarante.

AMARANTE Vários locais
De 20 a 22 de Julho.
Grátis