Sonae recupera controlo no negócio dos centros comerciais

Grosvenor Group vendeu 20% da participação na Sonae Sierra por um valor estimado de 255 milhões de euros.

Paulo Azevedo, presidente da Sonae, garante controlo dos centros comerciais.
Foto
Paulo Azevedo, presidente da Sonae, garante controlo dos centros comerciais. NELSON GARRIDO

A Sonae SGPS anunciou neste sábado ter chegado a acordo com a Grosvenor Group para a aquisição de 20% de participação do capital social da Sonae Sierra, empresa especializada em imobiliário de retalho, nomeadamente em centros comerciais, com forte presença internacional. Desde 2006, a Sonae Sierra era detida em partes iguais (50%) pelos dois grupos.

De acordo com o comunicado enviado pela Sonae ao mercado, “o acordo prevê a aquisição de 20% do capital pelo valor estimado de 255 milhões de euros, passando a Sonae a controlar 70% da empresa após a conclusão da transacção”.

A parceria com a Grosvenor, foi um dos poucos negócios em que o fundador da Sonae, Belmiro de Azevedo, aceitou repartir capital. A recuperação do controlo da empresa acontece com o filho, Paulo Azevedo, que tem desenvolvido uma estratégia de capital ligth, materializada na criação de joint ventures, sem exigência de controlo maioritário, e a celebração de acordos de franchising.

O grupo liderada por Paulo Azevedo refere que a Grosvenor, uma das grandes empresas privadas do mundo do ramo imobiliário, “continuará a ser o parceiro estratégico da Sonae na Sonae Sierra” e que estão assegurados os direitos de saída adequados à futura condição de accionista minoritário”.

 A Sonae, que é proprietária do PÚBLICO, adianta que a aquisição, lhe permite reforçar “a posição e influência numa empresa líder no sector”, e aumentar “o perfil internacional do grupo”. A razão que está na base da redução da participação da Grosvenor não foi avançada.

De acordo com a informação divulgada, "a Sonae Sierra gere e co-controla 46 centros comerciais na Europa e na América do Sul, com 1,9 milhões de metros quadrados de Área Bruta Locável (ABL) e um valor de mercado de sete mil milhões de euros. A empresa está presente em 12 países, tem mais de 9300 contratos com lojistas e gere centros comerciais que registaram no ano transacto mais de 438 milhões de visitas, sendo uma das empresas mais galardoadas do sector na área da sustentabilidade”.

A conclusão da transacção, que acontece numa altura de forte subida dos activos imobiliários, "está ainda sujeita à avaliação e aprovação pelas autoridades da concorrência competentes”, refere o comunicado.

 O grupo Sonae apresentou, em 2017, um volume de negócios consolidado de 5710 milhões de euros, mais 7,1% que no ano anterior.