Sete ideias para sair esta semana

Dias ao ar livre, por sabores, artes, luzes e festas de subir à cabeça.

,
Foto
O Baile das Coisas Importantes DR

Livre num jardim

Lisboa - Jardim do Bairro das Estacas, junto ao Maria Matos Teatro Municipal
Dia 14 de Julho

O Maria Matos torna a sair de casa para juntar artistas, programadores, público e vizinhança no jardim do Bairro das Estacas, numa grande festa familiar chamada Ao Ar Livre. Aperaltado com mesas forradas a papel (para riscar à vontade) e enfeitado com "vegetação" a preto e branco, promove oficinas que tanto podem envolver sementes como livros, labirintos, insectos comestíveis ou produção de cartazes; instalações artísticas interactivas como Roda-Mundos, que transforma materiais em animais como o sofá-panda, o bidão-porco preto ou cómoda-girafa; e espectáculos como O Baile das Coisas Importantes, encenado por Joana Providência, escrito por Afonso Cruz e interpretado por Catarina Gomes. Para descansar, há espreguiçadeiras e almofadas à disposição. À hora de jantar, vai à mesa a diversidade do bairro da Mouraria. A festa culmina com Benjamim feito DJ, a sintonizar o seu Auto Rádio para pôr toda a família a dançar. Ao Ar Livre é uma tradição de fecho de temporada do Maria Matos que, este ano, tem também uma nota de despedida: é o último antes da passagem do teatro para gestão privada.
Horário: das 15h às 22h (oficinas das 15h às 19h; jantar às 19h; DJ set às 20h30).
Entrada livre

 

PÚBLICO -
Foto
Toques do Caramulo Ana Filipa Flores

Ritmo de Ancas

Anadia - Ancas
Até 15 de Julho

Fardos de palha, espantalhos e engenhos estão ao virar da tabuleta que indica Ancas, uma pequena aldeia que anda há mais de uma década a transformar-se no cenário de um festival. No Folk Ancas, a música tradicional portuguesa encontra-se com as danças do mundo, rodeada por artesanato, gastronomia e arte a combinar. Depois de uma série de actuações e workshops com grupos regionais e de outros países (Guiné-Bissau, Bolívia, Turquia, Taiwan...), cabe ao angolano Chaló Correia e aos portugueses Toques do Caramulo fechar a função desta 11.ª edição.
Horário: das 10h às 2h.
Bilhetes: grátis a 2,50 (espectáculos); 5€ (passe)

 

PÚBLICO -
Foto
OCubo

Estudos iluminados

Coimbra - Pátio das Escolas da Universidade
De 16 a 21 de Julho

História, património, espírito académico. É no cruzamento destes feixes que se constrói UC725: Uma História de Luz, um espectáculo de video mapping que se projecta nas paredes da Universidade de Coimbra. Originalmente criado há três anos pelo ateliê OCubo, para celebrar o 725.º aniversário da instituição, é agora reposto com adição de um segmento inédito, A Luz do Jogo, para ilustrar criativamente as 13 modalidades representadas nos Jogos Europeus Universitários, que se disputam na cidade entre 15 e 28 de Julho.
Horário: sessões às 22h e 23h.
Bilhetes a 3€

 

PÚBLICO -
Foto

Tasquinhas do mar

Sines - Avenida Vasco da Gama
De 14 de Julho a 5 de Agosto

Seja de lagosta ou de gambas, à folião, à mariscador ou à Vasco da Gama, a feijoada é o prato forte. Doze restaurantes disputam nas Tasquinhas de Sines o título da melhor versão feita com produtos do mar. Mas nem tudo é a feijões: servem-se sardinhas assadas, choco frito, arroz de polvo, migas com carne e outras iguarias, algumas com pitadas de sabores orientais e africanos. Gelados artesanais, doces conventuais e cocktails também têm o seu lugar nos estabelecimentos da terra que se fazem representar – 17 no total. Para completar a ementa, há animação musical todas as noites, com destaque para a actuação de Tiago Bettencourt no encerramento e com o bónus dos concertos oferecidos pelo Festival de Músicas do Mundo de Sines, que se espraia à beira-mar entre 25 e 28 de Julho.
Horário: das 12h às 2h (animação musical às 22h).
Entrada livre

 

PÚBLICO -
Foto
Exploradores da Serra, pelo Teatro Regional da Serra de Montemuro Lionel Balteiro

Festa à nora

Serpa - Espaço Nora
Até 21 de Julho

Por estes dias, a nora da muralha-aqueduto de Serpa chama locais e visitantes para noites de música, teatro e dança, com o objectivo de apresentar A cultura como uma festa! É este o lema das Noites da Nora, uma iniciativa da companhia Baal17. Na recta final desta 19.ª edição entram, entre outros, a banda Cassete Pirata (dia 14), a Literaturinha do Teatromosca, com uma leitura encenada da lenda do rei Artur (15), os Exploradores da Serra do Teatro Regional da Serra de Montemuro (18), o espectáculo multidisciplinar Synectikos, do Colectivo Lisarco (19), o exotismo experimental da one-woman-band Surma (20) e o "tango pirata" de La Miseria Deluxe (21).
Horário: todos os dias, às 22h30.
Bilhetes a 2€ (quarta, quinta e domingo) e 3€ (sábado)

 

PÚBLICO -
Foto

Águas passadas

Óbidos
Até 5 de Agosto

É altura de "navegar entre cheiros e sabores das tabernas e bancas garridas, avistar trovadores, danças e momices, rumo aos ofícios e mesteres, entre armas e cavaleiros". O convite vem de Óbidos, que desde dia 12 de Julho está de volta aos tempos em que era um burgo medievo. A água o dá, a água o leva é o tema desta edição do Mercado Medieval. Cortejos, paradas, arruadas, torneios, espectáculos de fogo, performances teatrais, actuações musicais, contos e bailes sucedem-se naquela que é uma das reconstituições históricas mais concorridas do país. Para os mais rigorosos, a experiência pode ser levada a outro nível com um serão que inclui traje, lugar reservado no torneio do dia e uma ceia à moda da chamada "idade das trevas".
Horário: quinta e sexta, das 17h à 1h; sábado, das 11h à 1h; domingo, das 11h às 24h.
Bilhetes a 7€ (5€ para trajados à época); grátis até 11 anos. Serão medieval: 39,90€ (adultos) e 15€ (dos três aos 11 anos). Aluguer de trajes: 5€

 

PÚBLICO -
Foto
Miguel Manso

De se lhe pôr o chapéu

São João da Madeira - Museu da Chapelaria, Praça Luís Ribeiro e outros locais
De 20 a 22 de Julho

Em terra de chapeleiros, um Hat Weekend. Durante três dias, São João da Madeira recebe músicos, bailarinos, actores, artistas urbanos, confrades, acrobatas, fantoches, gigantones… Todos de chapéu ou com o adereço como inspiração. A ideia é interpretar artisticamente o papel da indústria chapeleira para a cidade, em ligação directa com o espólio e trabalho do Museu da Chapelaria. Entre dezenas de espectáculos, destaca-se o de abertura, na sexta-feira, às 22h30: Tangran e o Chapeleiro – Episódio: Em Busca do Chapeleiro, da companhia Artelier, uma combinação de teatro, circo e video mapping. Horas antes, às 19h, é inaugurada uma feira do feltro e do chapéu com modelos clássicos e novos designs. Da cartola desta segunda edição, o Hat Weekend tira ainda o coelho, como estrela de um festival gastronómico que decorre em restaurantes da cidade.
Horário: sexta, das 18h às 24h; sábado, das 10h30 às 24h; domingo, das 10h30 às 17h.
Entrada livre