Fotografia

Um retrato íntimo da América entre quatro paredes

Alice e Chris. "Vivemos vidas ocupadas, com empregos, dois filhos e um gato. Todo o tempo de que podemos desfrutar juntos é bem aproveitado." ©Barbara Peacock
Fotogaleria
Alice e Chris. "Vivemos vidas ocupadas, com empregos, dois filhos e um gato. Todo o tempo de que podemos desfrutar juntos é bem aproveitado." ©Barbara Peacock

American Bedroom é uma série fotográfica sobre “isolamento, fragilidade do envelhecimento, laços, luxúria, família, conforto, a vida no limite, simplicidade, compromisso e aceitação”. Barbara Peacock viajou por todo o território dos Estados Unidos, durante dois anos, em busca de um relance sobre a intimidade dos cidadãos, do que compõe o tecido interno dos lares e das narrativas individuais. “Quis reunir uma grande variedade de quartos e de indivíduos (…) Encontrei pessoas muito interessantes, abertas e corajosas do outro lado da minha objectiva”, disse ao P3, em entrevista por e-mail.

April tem 76 anos e chora com saudades da mãe. Cody é prisioneiro do seu quarto. “É muito frustrante, não posso fazer nada. Não posso estar com os meus amigos, praticar desporto… Estou aqui preso. Só, com a minha doença.” Padece de febre reumática. Já a vida da família Kalstas gira em torno do autismo de um dos filhos. Os quatro elementos da família reúnem-se todas as noites, na sua grande cama familiar. Keto, por seu turno, vive só. “Tem sido difícil. O meu irmão suicidou-se e o meu pai está desaparecido há quatro anos. Crio arte para me manter são.” Joshua foi pai há poucos dias. Lee é alcoólico. “É difícil viver em Pine Bluff. É como um buraco negro. Suga-te e mantém-te preso.” Nicole e Sven perderam um bebé recentemente e tentam salvar o seu relacionamento. “Fomos feitos um para o outro. Mesmo com um oceano a separar-nos, conseguimos encontrar-nos.”

As histórias são inúmeras, “repletas de idiossincrasias e significados”. Entre retratados estão algumas pessoas conhecidas da fotógrafa, amigos de amigos, pessoas que se voluntariaram através do Facebook e do Instagram, onde coloca anúncios sempre que viaja. “Sou uma pessoa amigável e envolvente, acho que consigo deixar as pessoas à vontade. Falamos sobre o projecto, eu mostro-lhes algumas imagens para que me expliquem aquilo com que se sentem confortáveis ou não. A minha abordagem é colaborativa. Permito que me ajudem a criar algo especial que represente quem são.”

American Bedroom é “sobre a condição e vida humanas, aqui e agora”. É sobre “a variedade de formas de como o estilo de vida americano se encara a si próprio e sobre o modo controverso como é percepcionado pelo mundo”. E ao fim de 74 retratos está ainda longe de um término. Em Setembro de 2017, o projecto recebeu uma bolsa da Getty Images, que permitirá a Barbara continuar a viajar pelos vários cantos do país por mais três anos.

Callie e Joshua. "A cama, a sexualidade, é uma terapia, um local dedicado ao Eu."
Callie e Joshua. "A cama, a sexualidade, é uma terapia, um local dedicado ao Eu." ©Barbara Peacock
Cassie. "Há muitos tesouros espalhados pelo meu quarto. Durmo entre os meus tesouros como um dragão."
Cassie. "Há muitos tesouros espalhados pelo meu quarto. Durmo entre os meus tesouros como um dragão." ©Barbara Peacock
Cody. "É muito frustrante, não posso fazer nada. Não posso estar com os meus amigos, praticar desporto... Estou aqui preso. Só, com a minha doença."
Cody. "É muito frustrante, não posso fazer nada. Não posso estar com os meus amigos, praticar desporto... Estou aqui preso. Só, com a minha doença." ©Barbara Peacock
Elen. "Já tomei conta dos meus filhos enquanto ordenhava cabras."
Elen. "Já tomei conta dos meus filhos enquanto ordenhava cabras." ©Barbara Peacock
Holly e Nathan. "Adoramos ajudar pessoas criativas na sua arte."
Holly e Nathan. "Adoramos ajudar pessoas criativas na sua arte." ©Barbara Peacock
Jessica. "Por vezes, a vida atira-nos em muitas direcções distintas. O mais importante é lembrarmo-nos onde estamos e onde queremos ir."
Jessica. "Por vezes, a vida atira-nos em muitas direcções distintas. O mais importante é lembrarmo-nos onde estamos e onde queremos ir." ©Barbara Peacock
Joshua. "Agora sou pai."
Joshua. "Agora sou pai." ©Barbara Peacock
Família Kalstas. "O nosso mundo gira em torno do autismo e toda a família luta por estar à altura."
Família Kalstas. "O nosso mundo gira em torno do autismo e toda a família luta por estar à altura." ©Barbara Peacock
Keto. “Tem sido difícil. O meu irmão suicidou-se e o meu pai está desaparecido há quatro anos. Crio arte para me manter são.”
Keto. “Tem sido difícil. O meu irmão suicidou-se e o meu pai está desaparecido há quatro anos. Crio arte para me manter são.” ©Barbara Peacock
Kyndal, 6 anos.
Kyndal, 6 anos. ©Barbara Peacock
Lee. “É difícil viver em Pine Bluff. É como um buraco negro. Suga-te e mantém-te preso.”
Lee. “É difícil viver em Pine Bluff. É como um buraco negro. Suga-te e mantém-te preso.” ©Barbara Peacock
Lucinda. "O meu quarto é o local onde posso aperaltar-me e parecer muitos anos mais nova. O que mais posso pedir?"
Lucinda. "O meu quarto é o local onde posso aperaltar-me e parecer muitos anos mais nova. O que mais posso pedir?" ©Barbara Peacock
April. "Tenho saudades da minha mãe."
April. "Tenho saudades da minha mãe." ©Barbara Peacock
Mary. "Tenho mais sorte do que a maioria porque sou dona da minha casa, mesmo que não tenha aquecimento ou água quente."
Mary. "Tenho mais sorte do que a maioria porque sou dona da minha casa, mesmo que não tenha aquecimento ou água quente." ©Barbara Peacock
Nicole e Sven. "Estamos destruidos, emocionalmente exaustos. Perdemos um bebé e tentamos salvar o nosso relacionamento."
Nicole e Sven. "Estamos destruidos, emocionalmente exaustos. Perdemos um bebé e tentamos salvar o nosso relacionamento." ©Barbara Peacock©Barbara Peacock
Nito. "Tudo o que tenho [neste quarto] contém uma história relacionada com os meus amigos e experiências de vida. Apesar do aspecto caótico, ter acesso a essas memórias acalma-me."
Nito. "Tudo o que tenho [neste quarto] contém uma história relacionada com os meus amigos e experiências de vida. Apesar do aspecto caótico, ter acesso a essas memórias acalma-me." ©Barbara Peacock
Shane e Carrie. "A vida é difícil, mas estamos bem."
Shane e Carrie. "A vida é difícil, mas estamos bem." ©Barbara Peacock
Brigid. "O meu quarto é o local onde me sinto confortável na minha pele. É onde escrevo e sonho."
Brigid. "O meu quarto é o local onde me sinto confortável na minha pele. É onde escrevo e sonho." ©Barbara Peacock
Mark. "Aguento-me no dia-a-dia com recurso a hemodiálise. Não suporto a ideia de me apartar da minha família. A minha vontade de viver é muito superior."
Mark. "Aguento-me no dia-a-dia com recurso a hemodiálise. Não suporto a ideia de me apartar da minha família. A minha vontade de viver é muito superior." ©Barbara Peacock