Balanço das chuvas chega aos 200 mortos

De acordo com os meios de comunicação social, pelo menos 60 pessoas continuam desaparecidas. Há milhões de desalojados.

Desde sábado que a chuva cai no oeste do Japão
Foto
Desde sábado que a chuva cai no oeste do Japão LUSA/JIJI PRESS

Pelo menos 199 pessoas morreram no oeste do Japão, na sequência de inundações e aluimentos de terras ocorridos na zona, anunciou nesta quinta-feira o porta-voz do Governo japonês. Desde sábado que a chuva cai sem parar naquela zona do país. 

O primeiro-ministro nipónico, Shinzo Abe, ordenou acções rápidas para acudir aos afectados, disse Yoshihide Suga, numa conferência de imprensa, no final de uma reunião de emergência. Um anterior balanço referia pelo menos 179 mortos.

Abe, que cancelou uma visita oficial a quatro países da Europa e do Médio Oriente, visitou na quarta-feira a província de Okayama, uma das mais atingidas assim como a de Hiroshima. Na sexta-feira, o chefe do Governo tem prevista uma nova deslocação a outra zona afectada. Shinzo Abe não prestou declarações, mas reuniu-se em privado com alguns habitantes.

Além dos 199 mortos confirmados, as autoridades referiram desconhecer o paradeiro de dezenas de pessoas. Os meios de comunicação social indicam que cerca de 60 estão desaparecidas.

O pesado balanço, ainda provisório, da mais grave catástrofe meteorológica desde 1982, levantou a questão dos métodos de avaliação do perigo, reconheceu o Governo, fortemente criticado pela oposição devido à gestão da crise considerada tardia.

"Temos vistos nestes últimos anos desastres relacionados com a chuva cada vez mais mortíferos. Devemos rever o que o Governo pode fazer para reduzir os riscos", tinha indicado Suga na quarta-feira à tarde.

As chuvas torrenciais dos últimos dias forçaram milhões de pessoas a deixarem as casas — milhares estão actualmente em abrigos públicos, enquanto outros foram acolhidos por familiares.