Emmys 2018: este ainda é o mundo de A Guerra dos Tronos, mas é o Netflix que ocupa mais espaço

Plataforma de streaming foi a mais nomeada pela primeira vez, batendo a HBO. Academia nomeou Anthony Bourdain, Stranger Things, Westworld, Atlanta, Stephen Colbert ou O Assassinato de Versace.

Emilia Clarke, Daenerys Targaryen, Game of Thrones, Jon Snow, A Guerra dos Tronos, Viserion, Drogon, Viserys Targaryen, Casa Targaryen
Fotogaleria
A Guerra dos Tronos
Dan Fogelman, Mandy Moore, Isso É Nós, Will
Fotogaleria
This is Us
Onze, coisas estranhas, coisas estranhas - 2 ª temporada
Fotogaleria
Stranger Things
Bruce Miller, O Conto da Serva, O Conto da Serva, Margaret Atwood
Fotogaleria
The Handmaid's Tale
Stephen Colbert, The Late Show com Stephen Colbert
Fotogaleria
The Late Show with Stephen Colbert
Vanessa Kirby, a coroa, Claire Foy
Fotogaleria
The Crown
James Corden, Madonna, Karaoke de carona, o Late Late Show com James Corden
Fotogaleria
The Late Late Show with James Corden
Gerry Bean, na semana passada com John Oliver, Zazu
Fotogaleria
Last Week Tonight with John Oliver
Donatella Versace, American Crime Story, O Assassinato de Gianni Versace: American Crime Story - Season 2
Fotogaleria
American Crime Story: Versace
Gambino infantil, Atlanta, Atlanta
Fotogaleria
Atlanta
Jornada pela noite, Westworld - 2 ª temporada
Fotogaleria
Westworld
Quênia Barris, Anthony Anderson, Black-ish, Bob's Burgers, 69ª Primetime Emmy Awards, programa de televisão
Fotogaleria
Black-ish
Kim Bodnia, Matar Eva, Jodie Comer, Anatomia de Grey, Reino Unido
Fotogaleria
Killing Eve

Pela primeira vez, o Netflix tem mais nomeações para os Emmys do que a gigante da televisão convencional, a HBO. Mas A Guerra dos Tronos continua a vencer a batalha da série, com mais nomeações num ano em que os mais importantes prémios da televisão dos EUA que o mundo vê só reconheceram novos valores na comédia e deram pouca atenção a Twin Peaks. E em que o seu enamoramento caseiro por This Is Us deu lugar a uma atracção por American Crime Story: O Assassinato de Versace.

Da longa lista de nomeações apresentadas esta quinta-feira em Los Angeles pelos actores Samira Wiley e Ryan Eggold sobressaem os números: o Netflix teve 112 nomeações e a HBO 108. É a primeira vez em 18 anos que a HBO, símbolo de um modo de produção dos anos 1990 e 2000, mais selectivo, e sinónimo de qualidade, não lidera as nomeações.

A diferença é parca mas mostra a rápida aproximação do mundo do streaming ao mundo da TV por subscrição. Surge nos mesmos dias em que a HBO anunciava querer ser mais como o Netflix, produzir mais, e ocupar mais espaço, numa altura em que a febril produção do Netflix dá frutos, com séries de prestígio como The Crown e Stranger Things a bisarem presenças na lista das candidatas ao título de melhor série. Isto depois de em 2017 The Handmaid’s Tale ter sido a primeira produção streaming (mas do Hulu, que não opera em Portugal) a receber o mais importante prémio da Academia de Artes e Ciências Televisivas. Como resume Daniel D'Addario na Variety, este saldo dos Emmys "ratificou uma coisa que era quase oficial há algum tempo: o Netflix é, presentemente, uma força dominante na televisão".

A Guerra dos Tronos (SyFy e TVSéries), uma das mais populares séries do planeta, está novamente elegível (eram candidatos todos os programas estreados entre 1 de Junho de 2017 e 31 de Maio de 2018 e no ano passado, por se ter estreado nesse período, a temporada de 2017 da série não foi mencionada nos 69.ºs Emmy). A sua presença muda a corrida, como a sua ausência também a moldou.

Primeiro porque há quem defenda, como escreve a crítica de TV do New York Times Margaret Lyons, que A Guerra dos Tronos "não é a 'melhor' em nenhuma das suas categorias, é só a 'mais'", a maior. A sua dimensão é parte do seu fenómeno e os Emmys são, como todos os prémios, uma mistura de gostos e outros factores, mas sobretudo uma instituição pouco conotada com o risco. The Handmaid’s Tale, que parte do livro de Margaret Atwood e cuja temática tirou o fôlego aos espectadores na era Trump, fez história tanto justa quanto circunstancialmente em 2017 na ausência de A Guerra dos Tronos. Elogiada pela crítica e com uma gravidade que os Tronos não têm, continuam a competir de perto.

Se o épico de fantasia baseado nos livros de George R.R. Martin foi novamente o mais nomeado, teve apenas três menções na actuação (Lena Headey, Peter Dinklage e Nikolaj Coster-Waldau como secundários) e muitas nas chamadas categorias técnicas. O peso da televisão solene de Westworld (TVSéries) e sua interrogação de humanidade, andróides e consciência, ou do totalitarismo sexual de The Handmaid’s Tale (Nos Play), vem com mais reconhecimento na interpretação – têm cinco e seis nomeações para os seus actores, respectivamente, entre Evan Rachel Wood e Ed Harris até às vencedoras de 2017, Elisabeth Moss e Ann Dowd. 

Na lista das séries mais nomeadas surgem depois Saturday Night Live (com vários nomeados pelos seus sketches semanais, entre os quais Alec Baldwin pela sua caricatura de Donald Trump) e Westworld  (HBO), com 21 nomeações, e a segunda temporada de The Handmaid’s Tale, com 20. Vistos assim, estes parecem ser os Emmys dos consagrados dos últimos anos, sem novas séries candidatas no drama, e também os prémios de fim de festa, com a despedida dos subvalorizados The Americans (Fox Crime). Os seus protagonistas, Matthew Rhys e Keri Russell, foram nomeados, e é também a última vez que Claire Foy e Matt Smith, protagonistas de The Crown, puderam ser e foram nomeados.

Uma recém-chegada no drama (ainda sem estreia em Portugal), Killing Eve (HBO), não conseguiu a nomeação na mais desejada categoria, mas deu à sua protagonista Sandra Oh a primeira nomeação de actriz principal para uma asiática.

É na comédia que este ano estão nomeadas novas séries – três. Barry (HBO/TVSéries), The Marvelous Mrs. Maisel (Amazon) e Glow  (Netflix) são os novos talentos que competem com a segunda temporada de Atlanta, de e com Donald Glover, a aposta segura que obteve 16 nomeações, o maior número da comédia e que em Portugal passa na Fox Comedy.

Nela competem ainda a HBO com Curb Your Enthusiasm – Calma Larry e Silicon Valley, Unbreakable Kimmy Schmidt do Netflix e Black-ish. Glover, Bill Hader (Barry), Larry David (Curb Your Enthusiasm),Ted Danson (The Good Place), Rachel Brosnahan (Mrs. Maisel), Issa Rae (Insecure) e Pamela Adlon (Better Things) são alguns dos nomeados entre os protagonistas da comédia. Tal como A Guerra dos Tronos, também a ausência de Veep, a vencedora dos últimos anos na comédia, abriu espaço para novos nomes depois de a sua produção ter sido suspensa pelo cancro de Julia Louis-Dreyfus, que tem já oito Emmys.

Os 70.ºs Emmys reforçaram a tendência que nos últimos anos revalorizou categorias  antes consideradas de segunda como o telefilme, a mini-série e até o documentário. Uma das relativas surpresas foi a atenção dada à série de antologia/mini-série sobre o homicídio do designer de moda Gianni Versace, uma criação feérica sobre homofobia e psicose que a Fox transmitiu em Portugal e que a Academia brindou com 18 nomeações (entre as quais seis para os seus actores, como Penélope Cruz ou o protagonista Darren Criss). Nas séries de duração limitada foram também reconhecidas Godless (Netflix) ou Genius (National Geographic), cujo protagonista Antonio Banderas está nomeado como melhor actor nesta secção.

David Lynch foi nomeado pela escrita e realização no seu regresso a Twin Peaks (TVSéries), uma série que encimou as listas de muitas publicações como uma das melhores de 2017 e que está a ser apontada como uma das faltas a marcar nestes 70.ºs Emmys (Mindhunter, Killing Eve e Orange is the New Black são outras ausências notadas). Kyle MacLachlan e Laura Dern não foram nomeados por Twin Peaks, mas a actriz é candidata pelo seu protagonismo no telefilme The Tale, outra produção HBO, que também viu nomeados Paterno e Fahrenheit 451.

A força dos talk shows de comentário noticioso é confirmada pela forte presença dos nomeados na televisão portuguesa, via SIC Radical e RTP, com Stephen Colbert, John Oliver ou Trevor Noah candidatos ao Emmy pelos seus programas. A única mulher candidata ao Emmy nesta categoria é Samantha Bee com o seu Full Frontal, e é uma de dois nomeados cujas polémicas recentes não afectaram a sua candidatura – ela por ter insultado Ivanka Trump, e Jason Bateman, nomeado por Ozark apesar de uma breve controvérsia MeToo por ter minorado as queixas da sua colega Jessica Walter quanto a Jeffrey Tambor nas filmagens de Arrested Development.

Estes são também os Emmys que nomearam postumamente Anthony Bourdain, cuja morte em Junho abalou o meio e que estava a filmar o programa Parts Unknown para a CNN quando do seu suicídio.

Os nomeados nas principais categorias:

Drama

Melhor série dramática

A Guerra dos Tronos (HBO/SyFy)

The Handmaid's Tale (Hulu/Nos Play)

The Americans (FX/FoxCrime)

This Is Us (NBC/FoxLife)

The Crown (Netflix)

Stranger Things (Netflix)

Westworld (HBO/TVSéries)

Melhor actor numa série dramática

Sterling K. Brown - This Is Us

Milo Ventimiglia -This Is Us

Matthew Rhys - The Americans

Jeffrey Wright - Westworld

Ed HarrisWestworld

Jason Bateman - Ozark

Melhor actriz numa série dramática

Elisabeth Moss - The Handmaid's Tale

Claire Foy - The Crown

Keri Russell - The Americans

Evan Rachel Wood - Westworld

Sandra Oh - Killing Eve

Tatiana Maslany - Orphan Black

Melhor actor secundário numa série dramática

David Harbour - Stranger Things

Peter Dinklage - A Guerra dos Tronos

Nikolaj Coster-Waldau - A Guerra dos Tronos

Mandy Patinkin - Segurança Nacional

Joseph Fiennes - The Handmaid's Tale

Matt Smith – The Crown

Melhor actriz secundária numa série dramática

Millie Bobby Brown - Stranger Things

Lena Headey - A Guerra dos Tronos

Alexis Bledel - The Handmaid's Tale

Ann Dowd - The Handmaid's Tale

Yvonne Strahovski - The Handmaid's Tale

Thandie Newton - Westworld

Vanessa Kirby - The Crown

 

Comédia

Melhor série de comédia

Atlanta (FX/TVSéries)

The Marvelous Mrs. Maisel (Amazon)

Barry (HBO/TVSéries)

GLOW (Netflix)

Black-ish (ABC/Fox Comedy)

Silicon Valley (HBO/TvSéries)

Curb Your Enthusiasm (HBO)

Unbreakable Kimmy Schmidt (Netflix)

Melhor actor numa série de comédia

Donald Glover - Atlanta

William H. Macy - Shameless

Bill Hader - Barry

Ted Danson - The Good Place

Larry David - Curb Your Enthusiasm

Anthony Anderson - Black-ish

Melhor actriz numa série de comédia

Rachel Brosnahan - The Marvelous Mrs. Maisel

Allison Janney - Mom

Tracee Ellis Ross - Black-ish

Issa Rae - Insecure

Pamela Adlon - Better Things

Lily Tomlin - Grace and Frankie

Melhor actor secundário numa série de comédia

Brian Tyree Henry - Atlanta

Louie Anderson - Baskets

Henry Winkler - Barry

Alec Baldwin - Saturday Night Live

Kenan Thompson – Saturday Night Live

Tony Shalhoub - The Marvelous MrsMaisel

Tituss Burgess - Unbreakable Kimmy Schmidt

Melhor actriz secundária numa série de comédia

Zazie Beetz Atlanta

Laurie Metcalf – Roseanne

Leslie Jones - Saturday Night Live

Alex Borstein - The Marvelous MrsMaisel

Betty Gilpin - GLOW

Aidy Bryant - Saturday Night Live

Kate McKinnon - Saturday Night Live

Megan Mullally - Will and Grace

 

Melhor série limitada

American Crime Story: O Assassinato de Versace (FX/FoxLife)

Godless (Netflix)

Patrick Melrose (Showtime)

Genius: Picasso (National Geographic)

The Alienist (TNT)

 

Melhor telefilme

Black Mirror: USS Callister (Netflix)

Paterno (HBO/TVCine)

The Tale (HBO/TVCine)

Fahrenheit 451 (HBO)

Flint (Lifetime)

Melhor actor num telefilme ou série limitada

Benedict Cumberbatch - Patrick Melrose

Jeff Daniels -The Looming Tower

Darren Criss - American Crime Story: O Assassinato de Versace

Antonio Banderas - Genius: Picasso

John Legend - Jesus Christ Superstar

Jesse Plemons - Black Mirror: USS Callister

Melhor actriz num telefilme ou série limitada

Laura Dern - The Tale

Jessica Biel - The Sinner

Michelle Dockery - Godless

Sarah Paulson - American Horror Story: Cult

Edie Falco - Law & Order True Crime: The Menendez Murders

Regina King - Seven Seconds

Melhor actor secundário num telefilme ou série limitada

Jeff Daniels - Godless

Ricky Martin - American Crime Story: O Assassinato de Versace

Finn Wittrock - American Crime Story: O Assassinato de Versace

Edgar Ramírez -American Crime Story: O Assassinato de Versace

Michael Stuhlbarg - The Looming Tower

Brandon Victor Dixon - Jesus Christ Superstar

John Leguizamo - Waco

Melhor actriz secundária num telefilme ou série limitada

Merritt Wever - Godless

Penelope Cruz - American Crime Story: O Assassinato de Versace

Judith Light - American Crime Story: O Assassinato de Versace

Letitia Wright – Black Museum: Black Mirror

Sara Bareilles - Jesus Christ Superstar

 

Melhor série de variedades – talk show

Last Week Tonight with John Oliver (HBO/RTP)

The Late Show with Stephen Colbert (CBS/SIC Radical)

The Late Late Show with James Corden (CBS/SIC Radical)

Full Frontal with Samantha Bee (TBS)

The Daily Show with Trevor Noah (Comedy Central/RTP)

 

Melhor série ou especial de informação

Anthony BourdainParts Unknown (CNN)

My Next Guest Needs No Introduction with David Letterman (Netflix)

Leah ReminiScientology and the Aftermath (A&E)

StarTalk With Neil deGrasse Tyson (National Geographic)

Vice (HBO)

 

Documentário

Melhor documentário ou série de não-ficção

Wild Wild Country (Netflix)

The Defiant Ones (HBO)

The Fourth Estate (Showtime)

American Masters (PBS)

Planeta Azul II (BBC America/RTP1)

Melhor especial documentário

Icarus (Netflix)

Jim & Andy: The Great Beyond (Netflix)

Mister Rogers: It's You I Like (PBS)

The Zen Diaries Of Garry Shandling (HBO)

Spielberg (HBO)

Notícia corrigida às 10h46 de 13 de Julho: informação sobre exibição em Portugal da série Atlanta