Legionella motiva fecho de residências de estudantes do Politécnico de Coimbra

Bactéria foi detectada em dois chuveiros dos edifícios do instituto em Bencanta, após uma inspecção de rotina.

Politécnico garante que na altura do encerramento das instalações, nenhum dos residentes apresentava sintomas da doença
Foto
Politécnico garante que na altura do encerramento das instalações, nenhum dos residentes apresentava sintomas da doença CARLA CARVALHO TOMAS

O Politécnico de Coimbra anunciou ter encerrado as residências de estudantes situadas em Bencanta, na sequência da detecção de Legionella em dois chuveiros, após uma inspecção de rotina realizada pela Administração Regional de Saúde do Centro.

Numa nota de imprensa enviada à agência Lusa, lê-se que “a presidência do Politécnico de Coimbra e a Administração dos Serviços de Acção Social do Politécnico, responsáveis pela gestão das referidas unidades residenciais [decidiram] elevar as medidas preventivas e transferir os 56 alunos ali alojados, para proceder, na próxima segunda-feira, dia 9, à limpeza e desinfecção por uma empresa especializada”.

Após este procedimento, a Administração Regional de Saúde do Centro “voltará a analisar o sistema de distribuição de água”.

“O Politécnico de Coimbra informa que encerrou esta sexta-feira as residências situadas em Bencanta, na sequência de detecção de Legionella pneumophila, em 2 chuveiros, numa inspecção de rotina, realizada pela ARS Centro", refere a nota.

De acordo com a mesma fonte, a ARS Centro recomendou “interditar a utilização dos chuveiros e tomar as medidas necessárias para correcção da situação, nomeadamente, limpeza e desinfecção da cabeça dos chuveiros e implementar tratamento de choque térmico e/ou químico em toda a rede, de acordo com as características da mesma”.

A nota do Politécnico diz igualmente que, “na altura do encerramento preventivo das instalações, nenhum dos residentes daquelas unidades apresentava qualquer sintomatologia compatível com a doença”.