Chuva não dá tréguas ao Japão e já provocou 81 mortes

Mais de 4 milhões de pessoas receberam ordem para sair de casa por risco de inundações e deslizamentos de terra. Precipitação intensa prolonga-se pelo menos por mais um dia.

Inundar
Fotogaleria
Vista aérea da cidade de Kurashiki, no oeste japonês EPA/JIJI PRESS
Inundar
Fotogaleria
Equipas de resgate ajudam vítimas das cheias em Mabi, na região de Kurashiki Reuters/ISSEI KATO
Carro, Prefeitura de Ehime, Neblina
Fotogaleria
Diminuição do nível das águas deixou um rasto de destruição Reuters/KYODO
Kurashiki
Fotogaleria
Vista sobre as inundações em Kurashiki Reuters/KYODO
Transporte água, água, loch
Fotogaleria
Milhares de carros ficaram debaixo de água Reuters/ISSEI KATO
Inundar
Fotogaleria
Habitantes de Mabi fazem contas ao prejuízo Reuters/ISSEI KATO

As chuvas intensas que se abateram nos últimos dias sobre as regiões do Centro e do Oeste do Japão já provocaram a morte de pelo menos 81 pessoas e deixaram outras 58 desaparecidas. Face às previsões de pelo menos mais um dia de condições meteorológicas hostis, as autoridades emitiram ordens de evacuação que envolvem o deslocamento de 4,3 milhões de pessoas das suas casas.

A precipitação abundante deixou um rasto de destruição em várias áreas das ilhas de Honshu e Shikoku. Inundações e deslizamentos de terra encurralaram milhares de japoneses, que estão a ser socorridos por quase 54 mil elementos da polícia, dos bombeiros e das forças de segurança mobilizados para as operações de resgate.

“Ainda há muitas pessoas desaparecidas e outras que precisam de ajuda. Estamos a trabalhar contra o tempo”, afirmou o primeiro-ministro Shinzo Abe, citado pela Reuters.

Imagens televisivas e fotografias e vídeos publicados nas redes sociais mostram várias pessoas encurraladas nos telhados das suas casas ou a vaguear pelas águas em barcos improvisados.

“Nunca experienciámos esta quantidade de chuva. É uma situação de perigo extremo”, admitiu um representante da Agência Meteorológica do Japão em conferência de imprensa.

Cerca de um quarto dos 47 municípios do Japão estão ou estiveram em estado de alerta, principalmente devido ao perigo de deslizamento de terras. Por isso mesmo, perto de dois milhões de japoneses foram obrigados a abandonar as suas casas e outros 2,3 milhões aconselhados a fazer o mesmo.

Shikoku – a Sudoeste – tem sido uma das ilhas mais afectadas pela queda de água e ventos fortes. Entre sexta-feira e sábado caíram mais de 580 milímetros de chuva em algumas zonas da ilha e esperam-se outros 300 milímetros até segunda-feira.

Notícia actualizada às 14h35