O misterioso músico africano Ata Kak estreia-se em Portugal

O músico, em quem o Ocidente descobriu a vibração do Gana contemporâneo, vai estar no festival Jameson Urban Routes, a 26 de Outubro, no MusicBox, em Lisboa.

Colston Hall, Headrow House, O Headrow, DZ Deathrays
Foto
A net e algumas pistas de dança mais selectas do mundo devolveram Ata Kak ao centro dos acontecimentos da música popular

É uma história com pontos de contacto com outras que têm acontecido nos últimos anos e que têm levado à redescoberta de uma série de músicos africanos. Neste caso trata-se do músico ganês Ata Kak, que estava esquecido e agora foi redescoberto, graças a uma sonoridade onde existem traços de electrónicas, do rap e do pulsar africanizado. É este misterioso músico que se irá estrear ao vivo em Portugal, no contexto do festival Jameson Urban Routes, a 26 de Outubro, no MusicBox em Lisboa.

Foi aliás Ata Kak que acabou por despoletar a criação da influente editora e blogue Awesome Tapes From Africa, após o americano Brian Shimkovitz ter encontrado em 2002 uma cassete esquecida, de título Obaa Sima, lançada por Ata Kak oito anos antes. Seria essa cassete que iria originar a reedição, em CD e LP, desse lançamento em 2015, com o mundo Ocidental a descobrir um músico que é capaz de expor a vibração do Gana contemporâneo. Num curto espaço de tempo, a internet e algumas das pistas de dança mais selectas do mundo, acabavam por tomar contacto com o seu som, devolvendo Ata Kat ao centro dos acontecimentos relevantes da música popular.

O músico estreia-se em Portugal, juntando-se assim a outros nomes já confirmados para o Jameson Urban Routes, como os Iceage (27 Outubro), Author & Punisher e Mão Morta (24 Outubro) e Damien Jurado e Sean Riley (23 Outubro).

Sugerir correcção