Reino Unido

Mais duas pessoas intoxicadas com o agente nervoso Novichok

Casal britânico morava perto do local onde um antigo espião russo e a filha foram contaminados por um agente tóxico nervoso.
Fotogaleria

Os dois cidadãos britânicos que foram encontrados inconscientes em casa no sábado, em Salisbury, no Reino Unido, foram intoxicados com o mesmo agente nervoso tóxico que foi usado contra o antigo espião duplo russo Sergei Skripal e a filha em Março desde ano. Análises realizadas pelas autoridades britânicas revelaram nesta quarta-feira que o casal inglês foi exposto ao Novichok. O ministro do Interior britânico já anunciou que agendou uma reunião de emergência para esta quinta-feira.

Atingiu o seu limite de artigos gratuitos

Dawn Sturgess, de 44 anos, e Charlie Rowley, de 45 anos, tinham estado no parque Rainha Isabel na noite anterior, o que gerou alguma especulação acerca de uma eventual ligação ao ataque contra Skripal. Os dois estão internados em "estado crítico" no mesmo hospital onde estiveram o antigo espião e a filha. Para já, como medida de prevenção, as autoridades isolaram algumas das zonas que acreditam ter sido frequentadas pelo casal antes de terem sido internados com sinais de intoxicação. Ainda assim, as autoridades britânicas afirmam que os responsáveis da área da saúde entendem que não existem riscos significativos para a saúde pública.

A confirmação da intoxicação chegou ao final desta quarta-feira através do assistente do comissário da Polícia Metropolitana de Londres, Neil Basu. O responsável garantiu que "neste momento não existe registo de mais ninguém com os mesmos sintomas ligados a este incidente".

"A prioridade para a equipa de investigadores neste momento é estabelecer como é que estas duas pessoas entraram em contacto com o agente nervoso tóxico", acrescentou em declarações citadas pelo Guardian.

O comissário britânico lembrou ainda que "a complexa investigação à tentativa de homicídio de Iulia e Sergei continua em curso" e que existe um grupo de cerca de cem detectives a seguir pistas "para identificar os responsáveis do que continua a ser um ataque criminoso, bárbaro e imprudente". No entanto, ressalva que ainda não foram recolhidos os elementos necessários para afirmar que os dois ataques estão ligados, mas a investigação procurará responder a essa pergunta.

Sergei Skripal, de 66 anos, e a filha, Iulia, de 33 anos, tinham sido encontrados inconscientes num banco de uma zona comercial de Salisbury, onde viviam desde que o antigo espião foi libertado de uma prisão russa numa troca de presos entre Londres e Moscovo.

O Governo de Theresa May acusou o Kremlin de envolvimento na exposição de Iulia e Serguei Skripal ao agente Novichok, o que gerou um conflito diplomático entre Londres e Moscovo que resultou na expulsão de mais de uma centena de representantes russos colocados em diversos países da Europa e América do Norte, na União Europeia e na NATO, o que mereceu posteriormente uma resposta similar por parte de Moscovo, dando origem à mais grave crise entre a Rússia e o Ocidente desde o fim da Guerra Fria.