Património

Há 19 novas entradas na lista do Património Mundial da UNESCO

Entre os locais distinguidos está um conjunto de antigos lugares de culto cristão, outrora clandestino, em Nagasaki, no Japão.

Aasivissuit – Nipisat, um campo de caça do povo inuit, na Gronelândia LUSA/Olafur Rafnar Olafsson
Fotogaleria
Aasivissuit – Nipisat, um campo de caça do povo inuit, na Gronelândia LUSA/Olafur Rafnar Olafsson

A UNESCO juntou 19 novos lugares à lista de Património Mundial da Humanidade. Treze são de carácter natural, outros três são naturais e dois são de perfil misto. O anúncio foi feito pela organização nesta quarta-feira, depois de 11 dias de reunião em Manamá, no Bahrein.

Entram para a lista locais em Omã, Arábia Saudita, França, Espanha, Coreia do Sul, Rússia e Japão, entre outras nações. Neste último país é distinguido um conjunto de lugares de culto em Nagasaki, onde os cristãos professavam a sua fé na clandestinidade entre os séculos XVI e XIX (entre estes lugares estão o castelo de Hara, na península de Shimara; a catedral de Oura, construída no século XIX em homenagem às vítimas da perseguição religiosa, e um templo budista construído no lugar de uma antiga igreja fundada por missionários portugueses, e que ainda mantém símbolos cristãos como uma imagem de Maria ao lado de Buda). 

Também o vale do rio Bikin, na Federação Russa, passa a estar incluído na lista por ser uma extensão natural do sítio de Sikhote-Alin, que é Património da Humanidade desde 2001.

A lista Património Mundial da UNESCO passa agora a contar com 1902 sítios espalhados por 167 países.

O oásis de Al-Ahsa, na Arábia Saudita
O oásis de Al-Ahsa, na Arábia Saudita LUSA/Francois Cristofoli / UNESCO
A cidade antiga de Qalhat, em Omã
A cidade antiga de Qalhat, em Omã LUSA/QDP / UNESCO
Complexo arqueológico de Hedeby e Danevirke, na Alemanha
Complexo arqueológico de Hedeby e Danevirke, na Alemanha LUSA/Archeologisches Landesamt Schleswig-Holstein HANDOUT
A medina de Azahara, em Espanha. Construída no século X, mantém infra-estruturas como estradas, pontes e edifícios
A medina de Azahara, em Espanha. Construída no século X, mantém infra-estruturas como estradas, pontes e edifícios LUSA/Salas
O sítio arqueológico de Göbekli Tepe, na Turquia
O sítio arqueológico de Göbekli Tepe, na Turquia LUSA/Gobekli Tepe Project HANDOUT
O Castelo de Hara, na península de Shimara, no Japão, parte de um conjunto de 12 antigo locais de culto cristão clandestinos
O Castelo de Hara, na península de Shimara, no Japão, parte de um conjunto de 12 antigo locais de culto cristão clandestinos LUSA/JIJI PRESS
Ivrea, cidade industrial no Norte de Itália do século XX. Desenvolveu-se graças à indústria das máquinas de escrever, calculadoras e computadores
Ivrea, cidade industrial no Norte de Itália do século XX. Desenvolveu-se graças à indústria das máquinas de escrever, calculadoras e computadores LUSA/Maurizio Gjivovich
O exterior da catedral de Naumburg, na Alemanha, exemplo da arquitectura medieval especialmente da passagem do estilo românico ao gótico
O exterior da catedral de Naumburg, na Alemanha, exemplo da arquitectura medieval especialmente da passagem do estilo românico ao gótico LUSA/HENDRIK SCHMIDT
Um dos templos budistsa de Sansa, nas montanhas da Coreia do Sul
Um dos templos budistsa de Sansa, nas montanhas da Coreia do Sul LUSA/CIBM / UNESCO / HANDOUT
A paisagem arqueológica de Sassanid, em Fars, no Irão, um dos oito sítios arqueológicos situados em três zonas geográficas do sudeste de Fars
A paisagem arqueológica de Sassanid, em Fars, no Irão, um dos oito sítios arqueológicos situados em três zonas geográficas do sudeste de Fars LUSA/S.H.Rashedi / UNESCO
O sítio arqueológico de Thimlich Ohinga, no Quénia
O sítio arqueológico de Thimlich Ohinga, no Quénia LUSA/Ephraim Mwangi / UNESCO
Os edifícios vitorianos góticos e Art Deco de Bombaim, na Índia
Os edifícios vitorianos góticos e Art Deco de Bombaim, na Índia LUSA/DIVYAKANT SOLANKI
O Parque Nacional de Chiribiquete, também conhecido como "A Maloca do Jaguar", na Colômbia, com 75 mil pinturas rupestres
O Parque Nacional de Chiribiquete, também conhecido como "A Maloca do Jaguar", na Colômbia, com 75 mil pinturas rupestres LUSA/Jorge Mario Alvarez Arango
A floresta Pimachiowin Aki, no Canadá, lar de três comunidades Anishinaabeg
A floresta Pimachiowin Aki, no Canadá, lar de três comunidades Anishinaabeg LUSA/Pimachiowin Aki
O vale Tehuacán-Cuicatlán, um habitat original da Mesoamerica, no México
O vale Tehuacán-Cuicatlán, um habitat original da Mesoamerica, no México LUSA/Hugo Ortuno
As montanhas Barberton Makhonjwa, na África do Sul,
As montanhas Barberton Makhonjwa, na África do Sul, LUSA/Dion Brandt / UNESCO
A cadeia montanhosa de Puys e a falha tectónico-vulcânica de Limagne, em França
A cadeia montanhosa de Puys e a falha tectónico-vulcânica de Limagne, em França LUSA/Pierre Soissons / UNESCO / HANDOUT
A região de Fanjingshan, na província de Guizhou, no sudoeste da China
A região de Fanjingshan, na província de Guizhou, no sudoeste da China LUSA/Zhou Wenqing / UNESCO / HANDOUT