Há 19 novas entradas na lista do Património Mundial da UNESCO

Entre os locais distinguidos está um conjunto de antigos lugares de culto cristão, outrora clandestino, em Nagasaki, no Japão.

Aasivissuit – Nipisat, um campo de caça do povo inuit, na Gronelândia LUSA/Olafur Rafnar Olafsson
Fotogaleria
Aasivissuit – Nipisat, um campo de caça do povo inuit, na Gronelândia LUSA/Olafur Rafnar Olafsson

A UNESCO juntou 19 novos lugares à lista de Património Mundial da Humanidade. Treze são de carácter natural, outros três são naturais e dois são de perfil misto. O anúncio foi feito pela organização nesta quarta-feira, depois de 11 dias de reunião em Manamá, no Bahrein.

Entram para a lista locais em Omã, Arábia Saudita, França, Espanha, Coreia do Sul, Rússia e Japão, entre outras nações. Neste último país é distinguido um conjunto de lugares de culto em Nagasaki, onde os cristãos professavam a sua fé na clandestinidade entre os séculos XVI e XIX (entre estes lugares estão o castelo de Hara, na península de Shimara; a catedral de Oura, construída no século XIX em homenagem às vítimas da perseguição religiosa, e um templo budista construído no lugar de uma antiga igreja fundada por missionários portugueses, e que ainda mantém símbolos cristãos como uma imagem de Maria ao lado de Buda). 

Também o vale do rio Bikin, na Federação Russa, passa a estar incluído na lista por ser uma extensão natural do sítio de Sikhote-Alin, que é Património da Humanidade desde 2001.

A lista Património Mundial da UNESCO passa agora a contar com 1902 sítios espalhados por 167 países.

O oásis de Al-Ahsa, na Arábia Saudita
O oásis de Al-Ahsa, na Arábia Saudita LUSA/Francois Cristofoli / UNESCO
A cidade antiga de Qalhat, em Omã
A cidade antiga de Qalhat, em Omã LUSA/QDP / UNESCO
Complexo arqueológico de Hedeby e Danevirke, na Alemanha
Complexo arqueológico de Hedeby e Danevirke, na Alemanha LUSA/Archeologisches Landesamt Schleswig-Holstein HANDOUT
A medina de Azahara, em Espanha. Construída no século X, mantém infra-estruturas como estradas, pontes e edifícios
A medina de Azahara, em Espanha. Construída no século X, mantém infra-estruturas como estradas, pontes e edifícios LUSA/Salas
O sítio arqueológico de Göbekli Tepe, na Turquia
O sítio arqueológico de Göbekli Tepe, na Turquia LUSA/Gobekli Tepe Project HANDOUT
O Castelo de Hara, na península de Shimara, no Japão, parte de um conjunto de 12 antigo locais de culto cristão clandestinos
O Castelo de Hara, na península de Shimara, no Japão, parte de um conjunto de 12 antigo locais de culto cristão clandestinos LUSA/JIJI PRESS
Ivrea, cidade industrial no Norte de Itália do século XX. Desenvolveu-se graças à indústria das máquinas de escrever, calculadoras e computadores
Ivrea, cidade industrial no Norte de Itália do século XX. Desenvolveu-se graças à indústria das máquinas de escrever, calculadoras e computadores LUSA/Maurizio Gjivovich
O exterior da catedral de Naumburg, na Alemanha, exemplo da arquitectura medieval especialmente da passagem do estilo românico ao gótico
O exterior da catedral de Naumburg, na Alemanha, exemplo da arquitectura medieval especialmente da passagem do estilo românico ao gótico LUSA/HENDRIK SCHMIDT
Um dos templos budistsa de Sansa, nas montanhas da Coreia do Sul
Um dos templos budistsa de Sansa, nas montanhas da Coreia do Sul LUSA/CIBM / UNESCO / HANDOUT
A paisagem arqueológica de Sassanid, em Fars, no Irão, um dos oito sítios arqueológicos situados em três zonas geográficas do sudeste de Fars
A paisagem arqueológica de Sassanid, em Fars, no Irão, um dos oito sítios arqueológicos situados em três zonas geográficas do sudeste de Fars LUSA/S.H.Rashedi / UNESCO
O sítio arqueológico de Thimlich Ohinga, no Quénia
O sítio arqueológico de Thimlich Ohinga, no Quénia LUSA/Ephraim Mwangi / UNESCO
Os edifícios vitorianos góticos e Art Deco de Bombaim, na Índia
Os edifícios vitorianos góticos e Art Deco de Bombaim, na Índia LUSA/DIVYAKANT SOLANKI
O Parque Nacional de Chiribiquete, também conhecido como "A Maloca do Jaguar", na Colômbia, com 75 mil pinturas rupestres
O Parque Nacional de Chiribiquete, também conhecido como "A Maloca do Jaguar", na Colômbia, com 75 mil pinturas rupestres LUSA/Jorge Mario Alvarez Arango
A floresta Pimachiowin Aki, no Canadá, lar de três comunidades Anishinaabeg
A floresta Pimachiowin Aki, no Canadá, lar de três comunidades Anishinaabeg LUSA/Pimachiowin Aki
O vale Tehuacán-Cuicatlán, um habitat original da Mesoamerica, no México
O vale Tehuacán-Cuicatlán, um habitat original da Mesoamerica, no México LUSA/Hugo Ortuno
As montanhas Barberton Makhonjwa, na África do Sul,
As montanhas Barberton Makhonjwa, na África do Sul, LUSA/Dion Brandt / UNESCO
A cadeia montanhosa de Puys e a falha tectónico-vulcânica de Limagne, em França
A cadeia montanhosa de Puys e a falha tectónico-vulcânica de Limagne, em França LUSA/Pierre Soissons / UNESCO / HANDOUT
A região de Fanjingshan, na província de Guizhou, no sudoeste da China
A região de Fanjingshan, na província de Guizhou, no sudoeste da China LUSA/Zhou Wenqing / UNESCO / HANDOUT