Multimédia

O silêncio deles não trava a violência contra elas

Piadas sexistas e comentários menos apropriados não são, geralmente, vistos como assédio, mas a verdade é que estas “micro-agressões” estão muitas vezes na raiz de outras formas de violência exercida contra as mulheres. O que a campanha Call It Out: Respect Women pretende mostrar é que existem diversas maneiras de os homens chamarem a atenção para estas situações.

Promovida pelo governo de Victoria, na Austrália, a série de três vídeos apresenta situações do quotidiano em que as mulheres são assediadas ou tratadas de forma desrespeitosa por desconhecidos, namorados ou maridos, enquanto um terceiro sujeito reflecte se deve intervir ou permanecer em silêncio e compactuar com o comportamento dos agressores.

Call It Out chama os homens à conversa para os sensibilizar sobre a violência doméstica e o assédio, mostrando-lhes como podem agir. Num bar, em casa ou no trabalho, se alguém faz uma piada sexista, se se revela controlador/a em relação ao que o/a parceiro/a faz, se os impede de contactar com família e amigos ou até de ir ao médico sozinho/a, às vezes basta um simples “não digas isso” ou “o que estás a fazer não é correcto”.

Um dos pequenos vídeos retrata um grupo de homens a conversar quando um deles recebe um telefonema, presumivelmente da companheira. Os amigos ouvem-no dizer coisas como “já te disse que não falas ao mesmo tempo que eu” ou “treinas para ser assim estúpida?”, até que um deles decide intervir. A mensagem que a campanha tenta passar é que as mulheres não são responsáveis pelas agressões de que são alvo e que os homens têm a responsabilidade de se chegarem à frente quando se deparam com situações de assédio ou violência.