CGD amortiza empréstimo de dois mil milhões e deixa de ter financiamento do BCE

“Desde o início da década, é a primeira vez que a CGD Portugal não tem qualquer financiamento junto do BCE”, realça o banco público.

Paulo Macedo
Foto
daniel rocha

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) anunciou hoje que amortizou na última semana dois mil milhões de euros de um empréstimo do Banco Central Europeu (BCE), deixando assim de ter qualquer financiamento do BCE.

O empréstimo foi iniciado em 2016 no âmbito das operações de refinanciamento de prazo alargado, avança a Caixa em comunicado.

“Desta forma, a CGD Portugal deixa de ter qualquer financiamento do BCE, culminando uma política de diminuição gradual da dependência deste tipo de recursos que vinha sendo seguida nos últimos anos”, pode ler-se no documento.

Segundo o banco presidido por Paulo Macedo, a CGD atingiu o máximo de financiamento junto do BCE no primeiro trimestre de 2011, com 11,2 mil milhões de euros, coincidente com o pico da crise financeira internacional, que incidia em particular sobre a dívida soberana europeia.

“Desde o início da década, é a primeira vez que a CGD Portugal não tem qualquer financiamento junto do BCE”, realça o banco público.

Para a CGD, o reembolso “é mais um passo no processo de normalização da sua actividade e do seu balanço e é demonstrativo da robusta e confortável situação de liquidez da Caixa”.