DGArtes: Apoios à internacionalização oscilam entre cinco mil e 22 mil euros

A Direcção-geral das Artes vai apoiar 21 projectos.

Palácio da Ajuda, Palácio
Foto
RG RUI GAUDENCIO

Os montantes máximo e mínimo de apoio à internacionalização, com que a Direcção-geral das Artes vai apoiar 21 projectos, oscilam entre os 22.100 euros e os 5.144,25 euros, respectivamente, segundo os resultados esta quinta-feira divulgados.

Dos 21 projectos que vão ser apoiados, onze vão receber subsídios iguais ao montante solicitado, enquanto dez vão receber apoios inferiores aos apresentados nas candidaturas.

A candidatura com maior montante atribuído é Gentileza de um gigante — Uma trilogia, de Jorge Gustavo de Figueiredo Ciríaco, com 22.100 euros, seguida de circulação Internacional de Antropocenas, de João dos Santos Martins e Rita Natálio (Associação Parasita), com 21.097,50 euros, e da Colecção de Pessoas, para circulação nos EUA, Argentina e Uruguai, da Efémera Colecção — Associação cultural), com 17.751,05 euros.

Os 11 projectos contemplados com montantes do mesmo valor que o solicitado, estão entre os 6.015 euros da candidatura Intertextualities, da Associação Portuguesa de Flautas, e os 21.097,50 euros, de Antropocenas, de João dos Santos Martins e Rita Natálio.

Nas dez candidaturas que vão receber subsídios inferiores aos solicitados, estão, com o valor mais alto, o projecto de Jorge Gustavo de Figueiredo Ciríaco, que requerera 23.300 euros e vai receber 22.100 euros, e, com o valor mais baixo, a apresentação de Um gesto que não passa de uma ameaça, de Sofia Dias & Vítor Roriz, na Eslovénia e Irlanda, que consegue 5.144,25 euros dos 6.534,25 solicitados.

Não elegíveis e, consequentemente, não contemplados com qualquer subsídio ficaram o Festival Mimo 2018, da Banda Musical de Amarante, com uma candidatura de 30.000 euros, a digressão nos Estados Unidos Xerife VS Xerife, de Laura Macedo, que pedira 10.229,89 euros, a representação no estrangeiro (Chipre) do Grupo Folclórico das Lavradeiras da Meadela (10.000 euros) e a participação no festival DiffWinds 2018 - Luxemburgo, da Banda Musical de S. Martinho (7.625 euros).

Cartas, de Um Colectivo, o díptico Migrações (título provisório) e Medeia, da Artes & Engenhos, Pangeia no México, de Tiago Cadete, o projecto Trânsitos culturais no Sul Global, da Associação Cultural, On the Road, da Bienal de Cerveira, a internacionalização da Orquestra Portuguesa de Guitarras e Bandolins, ArtFest, da Associ'arte, a 4.ª Edição dos Iberian Festival Awards, da Associação Portuguesa de Festivais de Música (Aporfest), estão entre os 21 projectos que garantiram financiamento.

De igual modo, a participação da associação Espaço da Ilha, em três festivais internacionais, Lançar sementes, da associação Folha de Medronho, Dullmea, de Sofia Faria Fernandes, Performing Arts, da Associação de Lugares Criativos Projectos Culturais, Bisonte.0, da associação Pensamento Avulso.

A itinerância de Maria Lamas, sempre mais alto, um projecto que teve estreia em Berlim, em 2016, dedicado à escritora, ensaísta, opositora à ditadura e defensora dos direitos das mulheres, foi igualmente contemplado, com 5.585,5 euros.