Santana Lopes corta relação com o PSD e pode fundar novo partido

Em entrevista à revista Visão o ex-primeiro-ministro diz que a sua relação com o partido ao qual presidiu “acabou”. “Mas acabou mesmo”, assegura.

Relações Públicas, Comunicação
Foto
Nuno Ferreira Santos

A relação de cerca de 40 anos entre Santana Lopes e o PSD chegou ao fim. Quem o garante é o próprio Santana numa entrevista à Visão. O ex-autarca de Lisboa e da Figueira da Foz anuncia que a sua vida política andará por outras paragens, mas longe do PSD. Não se sabe ainda por onde. Criar um novo partido ou ir a eleições não são cenários coloque de parte.

“A minha intervenção política não se fará mais dentro do PSD. Isso acabou. Deixámos de viver juntos”, assegura.

Santana Lopes afirma, porém, que não desistiu “de lutar pelo país” e que vai ver “qual é o melhor modo de lutar pelo país”. Diz mesmo que já por várias o seu estado espírito “foi assaltado” e que “se calhar é melhor fazer uma organização partidária em que possa estar mais à vontade para ter a intervenção política” que acha que deve ter. Uma hipótese que não afasta no futuro.