Média da avaliação bancária das casas sobe cinco euros num mês

Face a Maio de 2017, o valor médio das avaliações aumentou 65 euros, com a maior variação anual a verificar-se no Norte. As subidas mensais mais elevadas registaram-se no Algarve e Alentejo. A única descida aconteceu nos Açores

Janela, fachada, arquitetura
Foto
A maior taxa de variação homóloga para o conjunto das avaliações verificou-se no Norte (7,4%) Nelson Garrido

O valor médio da avaliação das casas pelos bancos subiu cinco euros, para 1.176 euros por metro quadrado, em Maio passado face a Abril, divulgou hoje o Instituto Nacional de Estatística (INE).

Segundo o INE, este valor - obtido no âmbito de pedidos de crédito para a aquisição de habitação - representa um aumento de 0,4% relativamente ao mês precedente e de 5,9% face ao mesmo mês do ano anterior.

Em Maio, face a Abril antecedente, o valor médio de avaliação dos apartamentos aumentou oito euros, para 1.232 euros/metro quadrado (m2), enquanto nas moradias se manteve inalterado nos 1.074 euros/m2.

A nível regional, as maiores subidas para o conjunto da habitação registaram-se no Algarve (1,4%) e no Alentejo (0,8%), tendo a única descida acontecido nos Açores (menos 1,7%).

Face a Maio de 2017, o valor médio das avaliações aumentou 65 euros em Maio, com o valor de apartamentos e de moradias a subir 6,1% e 4,4%, respectivamente.

A maior taxa de variação homóloga para o conjunto das avaliações verificou-se no Norte (7,4%) e a menor no Alentejo (2,3%).

Nos apartamentos, o valor mais elevado foi observado no Algarve (1.501 euros/m2) e o mais baixo no Alentejo (980 euros/m2).

Comparativamente com Abril, o Algarve e o Alentejo apresentaram as maiores subidas (1,6%) e os Açores registou a única descida (menos 1,1%), enquanto em termos homólogos os Açores apresentaram o crescimento mais expressivo (10,6%) e o Alentejo registou a taxa de variação mais reduzida (3,5%).

Segundo o INE, o valor médio da avaliação para apartamentos T2 situou-se em 1.249 euros/m2, mais seis euros que no mês anterior, sendo que para os apartamentos T3 - outra das tipologias mais avaliadas - observou-se uma subida de dez euros, tendo-se o valor médio fixado nos 1.161 euros/m2.

Nas moradias, os valores mais elevados da média da avaliação bancária aconteceram na Área Metropolitana de Lisboa (1.445 euros/m2) e no Algarve (1.437 euros/m2) e o mais baixo no Centro (923 euros/m2).

Face a Abril, o Algarve apresentou a subida mais intensa (0,8%) e os Açores a maior descida (menos 1,5%), enquanto em termos homólogos o maior aumento no valor das avaliações de moradias observou-se na Área Metropolitana de Lisboa (7,3%) e a única variação negativa ocorreu na região do Algarve (menos 1%).

Quando comparado com o mês anterior, o valor da tipologia T3 manteve-se em 1.053 euros/m2 e a moradia tipo T4 desceu 20 euros, para 1.085 euros/m2.

Numa análise por regiões NUTS III, em maio, o Algarve, a Área Metropolitana de Lisboa e a Madeira apresentaram valores de avaliação superiores à média nacional (26%, 21% e 10% acima, respectivamente).

Já a região do Alto Alentejo foi a que apresentou o valor mais baixo em relação à média nacional (menos 31%)