Empresário galego fugido à Justiça e detido em Eposende vai ser extraditado

Era um dos dos fugitivos mais procurados na Europa. Homem é responsável por um esquema que desviou mais de 11 milhões de euros ao fisco

Maia, Portugal
Foto
Fábio Augusto

O empresário galego que era "um dos fugitivos mais procurados na Europa" e que foi detido na sexta-feira em Esposende vai ser extraditado e entregue a Espanha, disse à Lusa o seu advogado oficioso.

Segundo Ricardo Cardoso, o empresário foi ouvido esta terça-feira no Tribunal da Relação de Guimarães e deu o seu consentimento à extradição para o seu país de origem. "O processo de extradição deve estar concluído num prazo de cinco a dez dias", acrescentou. Até lá, o empresário ficará no Estabelecimento Prisional instalado junto da Polícia Judiciária do Porto.

As autoridades espanholas, com a colaboração das forças de segurança portuguesas, detiveram em Portugal "um dos fugitivos mais procurados na Europa", responsável por um esquema que desviou mais de 11 milhões de euros ao fisco, segundo anunciou na segunda-feira a polícia do país vizinho.

Segundo a direcção-geral da Polícia Nacional espanhola, o homem, de nacionalidade espanhola, foi localizado e detido na sexta-feira nas imediações de um restaurante em Belinho, Esposende.

"Agentes da Polícia Nacional, em cooperação com a Polícia Judiciária de Portugal e a Guarda Nacional Republicana portuguesa, prenderam um dos fugitivos mais procurados da Europa", lê-se num comunicado de imprensa enviado para as redacções.

O detido estava fugido desde Julho de 2016, depois de ter sido condenado a seis anos de prisão por liderar uma rede criminosa que desviou mais de 11 milhões de euros à Agência Tributária espanhola.

Segundo Ricardo Cardoso, o empresário "tem uma série de processos com penas transitadas em julgado", mas "ainda não há um cúmulo jurídico definido".

A fotografia do até aqui fugitivo foi incluída em Dezembro de 2016 na página "EU Most Wanted Fugitives" (fugitivos mais procurados na União Europeia" da Europol (polícia europeia).

Segundo a Polícia Nacional espanhola, a sua localização foi possível graças colaboração da rede policial ENFAST (rede europeia de equipas de busca activa de fugitivos), que tem como objectivo alcançar uma maior eficácia no rastreio e detenção dos maiores criminosos procurados a nível internacional.