Líder do PCTP/MRPP apela à luta armada “contra a exploração capitalista”

Arnaldo Matos publicou uma mensagem no Twitter a apelar às “operárias e operários” a lutarem com “tudo que tivermos à mão” e junta uma foto com duas espingardas automáticas AK47 cruzadas.

,
Foto

O líder do Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses (PCTP/MRPP), Arnaldo de Matos, apelou nesta segunda-feira, na sua conta no Twitter, à luta armada “contra a exploração capitalista”.

“Operárias e operários: organizemo-nos e lutemos contra esta exploração capitalista, com tudo o que tivermos à mão!”, escreve Arnaldo de Matos numa mensagem que inclui uma foto de duas Kalashnikov (AK47) cruzadas com a mensagem “I love ak47” (eu amo a AK47)

Embora não diga directamente o que motiva este apelo, ele terá sido motivado pela notícia avançada nesta segunda-feira pelo PÚBLICO de que o Novo Banco e BCP já perderam 700 milhões de euros com a exposição à empresa Ongoing.

“Temos uma Banca Privada, paga com o dinheiro do povo? Trabalhamos cada vez mais, cerca de 50 horas por semana, aos sábados e domingos, com o salário mais baixo da União Europeia, e ainda pagamos os roubos dos ladrões de bancos?”, escreve Arnaldo Matos pouco tempo depois do apelo à luta.

E acrescenta a seguir: “Mas ninguém controla a banca portuguesa? Como é possível que dois crápulas – Nuno Vasconcelos e Rafael Mora [donos da Ongoing] – um no Novo Banco e outro no BCP, tenham deixado um buraco de 700 milhões de euros nos seus bancos a favor da Ongoing?”

O MRPP (Movimento Reorganizativo do Partido do Proletariado) foi fundado em 1970 na clandestinidade. Já em 1976 passa a chamar-se Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses (PCTP/MRPP) e desde altura tem participado em diversos actos eleitorais, sendo reconhecido pelo Tribunal Constitucional.

O PÚBLICO tentou contactar Arnaldo Matos através dos dois números de telefone disponibilizados na página do partido na Internet, mas nenhum deles estava disponível.