Negrão lembra que o voto a favor do PSD foi idêntico a votações anteriores

"As fontes da direcção nunca sabemos bem o que dizem e como dizem", afirmou o líder parlamentar do PSD aos jornalistas.

Fernando Negrão não respondeu sobre eventual demissão
Foto
Fernando Negrão não respondeu sobre eventual demissão Miguel Manso

O líder da bancada do PSD Fernando Negrão desvaloriza a notícia vinda a público de que o voto a favor do PSD sobre o projecto de lei do CDS sobre combustíveis aconteceu à revelia da direcção de Rui Rio. Mas lembra que o PSD votou a favor, tal como fez nas cinco vezes anteriores que uma proposta idêntica do CDS foi a votos.

"A direcção [referida na notícia da agência Lusa] por si só é uma entidade abstrata que não emite opinião. As fontes da direcção nunca sabemos bem o que dizem e como dizem", afirmou Fernando Negrão aos jornalistas. "O voto foi feito em semelhança dos projectos anteriores do CDS", acrescentou, lembrando que a bancada vai influenciar o teor do projecto de lei na especialidade. 

Questionado sobre se tinha condições para continuar à frente da bancada, Fernando Negrão não respondeu. Já sobre a maneira como lida com Rui Rio sobre as matérias do Parlamento, o líder da bancada do PSD disse "proceder sempre da mesma forma com a direcção designadamente com o doutor Rui Rio".“Sempre da mesma forma, eu estou farto de explicar", disse, entrando para a sala do grupo parlamentar. Fernando Negrão falava aos jornalistas acompanhado pelo vice-presidente da bancada António Leitão Amaro, que deu a cara pela posição do PSD sobre esta matéria. 

O PSD votou favoravelmente as propostas do CDS que pretendiam reduzir o adicional aplicado ao Imposto sobre Produtos Petrolíferos (ISP) no âmbito do Orçamento do Estado para 2016, 2017 e 2018 e de um projecto de lei em Novembro passado, ainda na direcção de Passos Coelho. Além destas quatro vezes em propostas com efeito vinculativo, o PSD também votou a favor de um projecto de resolução do CDS no mesmo sentido. Ao todo são cinco as vezes que os sociais-democratas votaram favoravelmente propostas do CDS que pretendiam reduzir a sobretaxa aplicada ao ISP. 

Ao que o PÚBLICO apurou, os deputados sociais-democratas receberam da direcção da bancada indicação de voto favorável ao projecto de lei do CDS que, com a abstenção do BE e PCP foi aprovado. 

A posição do PSD sobre o projecto de lei do CDS já era conhecida há uma semana. António Leitão Amaro tinha defendido, em declarações ao PÚBLICO, que a proposta do CDS só não passaria se houvesse um recuo do PCP e do BE, o que implica o voto favorável do PSD.