Por que vestiu Melania um casaco com a frase "não quero saber"?

A primeira-dama norte-americana vestiu um casaco da Zara, entrou num avião e foi até ao Texas visitar centros de detenção de crianças.

Donald Trump, Estados Unidos
Fotogaleria
Reuters/KEVIN LAMARQUE
Donald Trump, Estados Unidos, primeira-dama dos Estados Unidos
Fotogaleria
Reuters/KEVIN LAMARQUE
Estados Unidos
Fotogaleria
Reuters/KEVIN LAMARQUE

O casaco que a primeira-dama norte-americana vestiu para deslocar-se ao Texas, onde visitou centros de detenção onde estão as crianças que são separadas dos pais na fronteira entre o México e os EUA, tem feito correr muita tinta na comunicação social e nas redes sociais. Por que vestiu Melania Trump um casaco que nas costas diz “I really don’t care. Do u?” (“Não quero saber. E tu?”)? As respostas têm sido várias.

Um casaco é um casaco
Stephanie Grisham, porta-voz de Melania, veio em socorro da primeira-dama para dizer que um casaco é um casaco. “Não há nenhuma mensagem oculta”, declarou aos meios de comunicação norte-americanos. “Depois da importante visita de hoje ao Texas, espero que não seja nisso que os meios de comunicação se vão concentrar”, acrescentou, criticando os que se focam nas escolhas de roupa da primeira-dama.

O comediante Stephen Colbert, no seu programa nocturno, sublinha que, de facto, a mensagem não é oculta e está bem à vista de todos: Melania não quer saber. Numa das visitas que a primeira-dama fez a um dos centros fica a saber que as crianças, antes de serem entregues aos pais, podem ficar ali entre 42 a 45 dias, ao que a responde: “That's great” (“Isso é óptimo”).

Uma resposta às fake news
A porta-voz de Melania é ignorada pelo Presidente que, em vez de sustentar as mesmas palavras de Grisham, tem a sua própria versão para o uso do casaco. A mulher está a responder aos órgãos de comunicação social que espalham fake news, as notícias falsas, escreve Donald Trump no Twitter. “Melania compreendeu como aqueles podem ser desonestos e já não quer saber”, acrescenta.

Uma mensagem para o marido?
Esta é outra das hipóteses que tem sido levantada, sobretudo porque Melania já tinha feito declarações contra a política de separar as famílias, logo no início desta semana. Até que ponto não é uma mensagem para Trump, dizendo-lhe que não quer saber da sua política, com a qual não concorda? Num dos centros que visitou, a primeira-dama fez questão de dizer que quer ajudar as crianças a voltarem para junto dos seus pais.

Recorde-se que Melania Trump tem sido vista em diversas cerimónias protocolares a recusar a mão do marido, atitude que tem levado a que se façam várias suposições. A ex-modelo esteve ainda desaparecida nas últimas semanas, levando a comunicação social a perguntar o que se passava. Primeiro, a Casa Branca disse que Melania tinha feito uma cirurgia, depois a própria escreveu no Twitter que não estava desaparecida, mas em casa, com a família, e a trabalhar.

Uma opção de moda sem medir consequências?
Não é a primeira vez que Melania Trump faz uma opção de vestir algo pouco adequado para o sítio onde vai. Em Agosto passado, depois da passagem do furacão Harvey pelo Texas, a primeira-dama saiu de Washington de stilettos nos pés, em vez de umas sapatilhas ou mesmo de umas galochas para visitar as vítimas. Quase duas semanas depois, Melania voltou a repetir o erro, numa segunda ida a Houston.

Assim sendo, há quem se pergunte se, de facto, não é mesmo uma falta de noção por parte da mulher de Donald Trump que, em tempos, foi modelo, dando assim mais importância ao que veste do que às situações para as quais se veste.

Um movimento que se importa
A opção de Melania de vestir o casaco onde declara que “não quer saber” levantou uma onda de protesto de gente que afirma precisamente o contrário: que quer saber do que se passa com a forma como está a ser levada a cabo uma política de imigração com tolerância zero, onde as crianças são mantidas em gaiolas e onde são medicadas contra a sua vontade e sem o consentimento dos pais

O site IReallyDoCare.com surgiu como reacção à escolha de Melania e reúne 14 associações que estão a apoiar os imigrantes, para as quais podem ser feitos donativos.

A marca de moda Wildfang desenhou e tem já à venda um casaco de algodão, que pode ser comprado online em preto ou em verde, com a frase “I really care, don't u?” (“Eu quero mesmo saber, tu não?”), bastante mais caro do que os 40 euros da gabardine da Zara, 98 dólares (cerca de 84 euros), cujo a totalidade reverte para a associação Raices, que apoia os imigrantes ilegais. Junto às imagens do casaco, a marca escreveu: “Ei Melania, nós queremos mesmo saber! E, por isso, fizemos este casaco, para dizer que estamos com os imigrantes, para dizer que nos importamos. Da Wildfang.” 

PÚBLICO -
Foto
Os saltos depois da destruição, no início de Setembro passado Kevin Lamarque/Reuters
PÚBLICO -
Foto
Casaco da Wildfang DR